5 ações que unem cerveja e sustentabilidade

Cresce a influência da questão ambiental no mercado da cerveja, seja na produção ou no marketing

Ação da cerveja Corona surpreendeu banhistas com muro instalado na Praia do Diabo (Foto: Raul Aragão/Divulgação)

A sustentabilidade ganha relevância no mundo dos negócios, e no mercado da cerveja também essa influência é cada vez mais presente. A preocupação com o meio ambiente se manifesta seja na produção, seja no marketing. A Beer Art selecionou cinco exemplos, resumidos a seguir (cada um tem um link para quem quiser saber mais):


 

1- EMBALAGEM COMESTÍVEL

Em 2015, os americanos beberam 6,3 bilhões de galões de cerveja (cerca de 24 bilhões de litros). Metade em latas. E a maior parte das embalagens de plástico dos packs acabam no oceano, o que significa uma grave ameaça para os animais marinhos. Para propor uma alternativa sustentável, a Saltwater Brewery desenvolveu, com a organização WeBelievers, uma embalagem comestível. A campanha trouxe a estimativa de qeu em todo o mundo 1 milhão de aves marinhas e 100 mil mamíferos marinhos e tartarugas marinhas ficam presos em plástico ou o ingerem e morrem. Saiba mais

Nova embalagem, biodegradável e feita com bioprodutos do processo de fabricação da cerveja, “em vez de matar animais, alimenta-os” (Foto: Reprodução de vídeo)

Nova embalagem, biodegradável e feita com bioprodutos do processo de fabricação da cerveja, “em vez de matar animais, alimenta-os” (Foto: Reprodução de vídeo)


 

2 - SUPORTE DE MATERIAL RECICLADO

Como alternativa aos plásticos usados para empacotar cerveja e outras bebidas, uma empresa americana, a PakTech, desenvolveu suportes portáteis e feitos de material reciclado. As alças são fabricadas com 100% de resina reciclada pós-consumo e são 100% recicláveis. Em 2017, conforme a empresa, mais de 75 milhões de jarras de leite de plástico foram eliminadas dos aterros sanitários e recuperadas como matéria-prima que o PakTech usa durante o processo de fabricação. O produto já é popularizado no mercado americano, também é utilizado na Europa, e agora a empresa introduz nos mercados brasileiro e argentino. Saiba mais

O produto já é popularizado no mercado americano, também é utilizado na Europa, e agora a empresa introduz nos mercados brasileiro e argentino (Foto: Beer Art)

O produto já é popularizado no mercado americano, também é utilizado na Europa, e agora a empresa introduz nos mercados brasileiro e argentino (Foto: Beer Art)


 

3 - MURO DE LIXO

Já imaginou chegar um dia na praia e deparar com um muro de lixo bloqueando a entrada? Foi essa a experiência em um sábado, 16 de março, na Praia do Diabo, em Ipanema, no Rio de Janeiro. Com 15m de comprimento por 2m de altura, o muro foi construído com lixo plástico retirado da praia para chamar atenção para a poluição provocada pelo plástico nos oceanos. Da ação, promovida pela cerveja Corona com a Parley for the Oceans e produzida pela Agência Haute, participaram cooperativas locais: a Coopideal foi responsável por fazer a coleta do material e a Coop Quitungo pela limpeza e separação. Saiba mais

O muro se impôs na paisagem na manhã de sábado, 16 de março (Foto: Raul Aragão/Divulgação)

O muro se impôs na paisagem na manhã de sábado, 16 de março (Foto: Raul Aragão/Divulgação)


 

4 - TÊNIS COM SOLADO DE MALTE

Duas empresas curitibanas lançaram um tênis especial que leva em sua composição malte de cerveja. Chamado de Ueno Whatafuck Imperial, o calçado leva os resíduos do bagaço de malte da cerveja produzida pela Whatafuck Hamburgueria. O bagaço é coletado após a produção da bebida e mesclado com o látex para a criação do solado. O produto, que leva os resíduos da produção de cerveja, é uma parceria com a Öus Brasil, focada na produção independente de calçados. Conforme Daniel Mocellin, dda rede Whatafuck, foi necessária quase meia tonelada de malte úmido para a produção dos tênis. Saiba mais

O calçado leva os resíduos do bagaço de malte da cerveja produzida pela Whatafuck Hamburgueria (Foto: Divulgação)

O calçado leva os resíduos do bagaço de malte da cerveja produzida pela Whatafuck Hamburgueria (Foto: Divulgação)


 

5 - COLETA DE GARRAFAS

A Goose Island recentemente lançou uma iniciativa para incentivar a logística reversa e para ajudar a solucionar um dos principais problemas do bairro de Pinheiros, em São Paulo (SP): a dificuldade dos bares e restaurantes da região para descartar corretamente as garrafas e embalagens de vidro. Assim, ao lado da startup Green Mining, a cervejaria passou a recolher os recipientes para enviar ao centro de reciclagem da Cervejaria Ambev, no Rio de Janeiro. Um coletor, em uma bicicleta adaptada, percorre Pinheiros coletando as garrafas de vidro dos estabelecimentos parceiros. Saiba mais

Iniciativa da Goose Island e da Green Mining, no bairro Pinheiros, promove a logística reversa (Foto: Divulgação)

Iniciativa da Goose Island e da Green Mining, no bairro Pinheiros, promove a logística reversa (Foto: Divulgação)