Brasil ganha 13 novas cervejarias artesanais por mês

Ao fim de 2017, são 675 fabricantes no país, conforme a Abracerva com base no MAPA

Expansão da cerveja artesanal no Brasil é uma tendência que vai prosseguir, na avaliação da Abracerva (Foto: Divulgação)

Expansão da cerveja artesanal no Brasil é uma tendência que vai prosseguir, na avaliação da Abracerva (Foto: Divulgação)

Em cinco meses, o Brasil registrou a abertura de 65 novas cervejarias artesanais. O mercado chega ao fim de 2017 com 675 negócios regularizados em todo o país: de junho para dezembro, houve um crescimento de 10% no número de fabricantes. Até o mês de junho eram 610 empresas nessa categoria e - em apenas cinco meses foram mais 65 novos registros. A informação sobre o crescimento no número de cervejarias foi obtida pela Associação Brasileira das Cervejarias Artesanais (Abracerva) junto ao Ministério da Agricultura e Abastecimento (MAPA).

A Abracerva considera esse crescimento apenas um reflexo do que está por vir. O presidente da entidade, Carlo Lapolli, destaca:

“O mercado está amadurecendo e a demanda do consumidor aumentando. A busca por produtos categóricos mostra que a exigência do cliente reflete na qualidade dos fabricantes.”

É importante salientar que as empresas ciganas não se enquadram na estatística do MAPA. A maior parte da fabricação das bebidas se concentra nas regiões Sul e Sudeste, porém todas as regiões do Brasil estão investindo nesse tipo de produção. Para Lapolli, o paladar dos consumidores está mais refinado, o que torna o mercado das artesanais mais competitivo:

“Hoje, a maioria dos bares oferece cervejas artesanais em razão da demanda dos consumidores. Muitos bares estão optando por disponibilizar apenas rótulos artesanais independentes ao invés dos comerciais.”

Ele explica que há espaço para o crescimento e não é necessário um investimento exorbitante para o surgimento de novas cervejarias:

“Normalmente a produção se inicia como ciganas. Assim, o consumidor pode optar por novos rótulos e as fábricas têm a opção de começar terceirizando o trabalho.”