A criatividade chama a atenção no cenário cervejeiro

Cerveja de sachê, bebida para cães, uso de levedura Kveik: apostas de cervejarias movimentam o mercado

Experiência brasileira lembra a uma da Pat's Backcountry Beverages (Fotos: Divulgação)

Experiência brasileira lembra a uma da Pat's Backcountry Beverages (Fotos: Divulgação)

Já passamos da metade de 2019, diversos lançamentos já aconteceram e excelentes novidades chegaram e movimentaram o mercado cervejeiro. Por resolvi fazer uma relação de alguns lançamentos que ainda podem movimentar mais o mercado cervejeiro.

Recentemente tivemos a “moda” das NE IPAs com lactose e frutas, com lançamentos de diversas cervejarias. Ainda que tenha perdido a força, ela movimentou bem o mercado.

A novidade da vez foi a cerveja em sachê, a primeira do gênero no planeta. Porém, descobrimos que uma cervejaria já havia lançado algo semelhante, a Pat's Backcountry Beverages. Mas, mesmo já existindo outra no gênero, a cerveja de sachê foi destaque no Mondial de La Bière, em São Paulo. Muitos comentam que o sabor dessa cerveja em sachê realmente é de uma IPA (India Pale Ale) genuína.

E como funciona essa cerveja em sachê? Simples, bastar adicionar 250 ml de água com gás ao sachê. O líquido concentrado se transforma em cerveja imediatamente, inclusive com a espuma característica das IPAs.

Será que essa moda pega? Ainda é cedo para dizer, mas o mais importante é que o mercado se movimentou, e a cervejaria conseguiu fazer muito barulho nas redes sociais e portais de notícias.

Outro lançamento bacana foi da Cervejaria Colorado, que já havia inovado com o primeiro rótulo em braile para cerveja artesanal. Agora entra no crescente mercado de produtos e serviços para pets. Claro, não é cerveja de verdade, ninguém faria isso com os bichinhos. Trata-se de uma bebida produzida a partir do extrato de malte e levedo, sem passar pelo processo de fermentação para não gerar teor alcoólico. O produto está disponível nos sabores carne e frango.

Com isso a Colorado inovou mais uma vez, querendo incentivar que as pessoas estreitem a relação com seus Pets. Uma baita sacada de marketing.

E, para finalizar, a moda mais recente é a desconhecida e recém descoberta pelos brasileiros, levedura Kveik.

Kveik é uma palavra do dialeto para "levedura" em norueguês, e hoje se refere especificamente à levedura não purificada reutilizada por gerações nas tradicionais farmhouses.

Levedura proveniente da Noruega, da linhagem Voss, essa cepa é tradicionalmente utilizada em cervejas no estilo Farmhouse Ale. A capacidade de trabalhar em extensa faixa de temperaturas possibilita sua utilização em diversos estilos, tais como: belgas, lupuladas americanas e até mesmo fake Lagers.

Temperaturas de fermentação mais baixas produzem cervejas limpas e sem ésteres, já as mais altas tendem a criar perfis com altos ésteres frutados.

Essa é uma tendência que recém pousou no Brasil, poucas cervejarias ou cervejeiros conhecem, por é importante estar atendo no mercado para você não ficar de fora do jogo.

Quando muitos perceberem essa tendência, ela já vai ter passado, e estará surgindo outra tendência no mercado, assim como foi com o lúpulo “Cryo Hops”.

Portanto, temos que ficar sempre antenados no que está acontecendo no mercado, dentro e fora do Brasil. Pesquisar e participar de feiras é muito importante para estar sempre atualizado nas tendências e ter novas “sacadas”.

Vá a eventos, converse com as cervejarias locais, “pesque” algumas ideias e inove neste mercado gigantesco das cervejas artesanais. Meu “chute” para a próxima tendência é das cervejas envelhecidas em barricas. Acredito que ela virá com força e se alguém colocar dentro de uma lata, será mais inovador ainda.

Cheers!