O que a Sunset Brew arrecadou em um mês de investimento coletivo

Cervejaria catarinense projeta valorização mínima de 300% nos próximos três anos

Marca nasceu em 2015, sob a inspiração de uma viagem para a África (Foto: Divulgação)

Marca nasceu em 2015, sob a inspiração de uma viagem para a África (Foto: Divulgação)

Como forma de impulsionar seu crescimento, a cervejaria Sunset Brew, de Tijucas (SC), adotou como estratégia o equity crowdfunding (investimento coletivo). É um recurso que foi utilizado, por exemplo, pela escocesa Brewdog, que já passou da sua quinta rodada de investimentos e tem mais de 155 mil sócios. No Brasil, uma cervejaria que adotou esse caminho é a Leuven, de Piracicaba.

Em apenas um mês, a empresa já angariou mais de R$ 650 mil via plataforma de investimento coletivo. A meta é alcançar R$ 3,75 milhões. A empresa se mostra otimista com o desempenho, considerando que o investimento mínimo é de R$ 1.000 para a compra de um título privado conversível em participação societária.

No caso da Sunset Brew, sob um cenário otimista, mas conforme os gestores compatível com a evolução dos dados históricos da cervejaria, e com os recursos obtidos na operação de crowdfunding, é prevista uma ampliação de vendas de 533% até o final de 2022 e um faturamento ultrapassando a cada dos R$ 10 milhões.

O CEO da Sunset Brew, Eduardo Petry, explica:

“Projetamos uma valorização mínima de 300% para a empresa para os próximos 3 anos. A rentabilidade média esperada na atividade é de 19%. Estamos buscando um investimento de R$ 3,75 milhões.”

O crowdfunding proporciona retorno financeiro e outras formas de compensação às pessoas que investem em boas ideias. A Sunset Brew apresenta o projeto aos interessados contendo informações sobre a cervejaria, quanto se pretende arrecadar, como serão utilizados os recursos e qual a data-limite para a adesão. A operação de crowdfunding no Brasil agora é regulamentada pela CVM a qual instruiu uma IN com diversos parâmetros a serem seguidos, dando uma segurança para a operação.

A cervejaria começou a ser idealizada após uma viagem de Eduardo Petry e Sheldon Cole, ao Kruger National Park, na África do Sul. Por lá ouviram um guia local contar a história sobre um rinoceronte da região. Valente, o animal derrotou o antigo líder da manada e dominou o território do safári. Em um fim de tarde, a fera se posicionou de frente ao pôr do sol africano, criando uma cena tão marcante a ponto de fazerem os líderes da localidade batizá-lo de “Sunset” (pôr do sol, em inglês).

Ao chegar ao local de descanso, abriram algumas cervejas artesanais para relaxar. Dois anos depois, em 2015, nascia a marca Sunset Brew, em homenagem à fantástica experiência na África. Para reforçar o time, Giovana Petry ingressou no projeto e no final de 2016, começaram a produzir.

Avaliada em R$ 25 milhões, a Sunset Brew obteve um salto de faturamento de 173,9% de 2017 para 2018 e, atualmente, vende para 22 estados brasileiros.

Em 2016, apenas dois anos após o início de suas operações, a capacidade de produção da fábrica foi expandida em 125%. A Sunset Brew ainda abriu o seu segundo Taproom (primeiro foi o bar situado anexo às instalações da cervejaria), em Março de 2019, na região de Florianópolis.

O possível investidor poderá conhecer mais sobre o projeto, participando de reuniões e, inclusive, visitando a fábrica para, então, decidir se quer fazer parte do projeto. Fora isso, tem muitos benefícios como receber em casa cervejas de graça no seu aniversário e participar na escolha de novos rótulos.

A cervejaria, com capacidade de produção de 80 mil litros mensais, está estabelecida em uma posição bem estratégica, às margens da BR 101, em Tijucas, o que favorece a logística das operações, distribuição e o acesso a clientes. Já está sendo projetada nova expansão, que deverá atingir o limite de produção da cozinha existente – 150 mil litros por mês. Nessa planta que a fábrica está tem condições de chegar entre 250 – 300 mil litros por mês de produção, números que contemplam todo o projeto de crowdfunding dos próximos 5 anos da empresa.

A catarinense Sunset Brew está no mercado desde 2016. Em seu portfólio conta com cinco rótulos: Golden Cape Lion American Lager, Dawn Patrol American Pale Ale, Aggro Bear American India Pale Ale, Madame Tatá Modern Saison e Imperial Black Rhino.

A empresa também mantém parceria com duas cervejarias internacionais, dividindo receitas com a Darling Brew, da África do Sul, e com a Two Birds, da Austrália. Em 2018, liderou uma iniciativa que congrega sete cervejarias dos cinco continentes ao recriar a Imperial Black Rhino, na cervejaria Fourpure, de Londres, dando o caráter especial para a “Nightfall”, que foi um sucesso de vendas.

O cervejeiro Rudy Favero embarcou para viver uma experiência colaborativa na terra da rainha e produziu na Adnams Southwold Brewery, a Aggro Bear (IPA) que está sendo vendida em mais de mil pontos que a rede JD Wetherspoon. Além disso, também foi produzida na cervejaria Windsor & Eton uma Marula NEIPA elaborada pelas duas cervejarias e a Darling Brew.