Rodrigo Sawamura deixa a coordenação da Escola de Cerveja e Malte

Engenheiro de alimentos paulista é um dos mais premiados sommeliers do Brasil

Rodrigo Sawamura, 40 anos, tem 15 anos de experiência no mercado cervejeiro, com atuação em diferentes papéis (Foto: Divulgação)

Rodrigo Sawamura, 40 anos, tem 15 anos de experiência no mercado cervejeiro, com atuação em diferentes papéis (Foto: Divulgação)

Depois de um ano à frente da coordenação dos cursos de sommelieria da Escola Superior de Cerveja e Malte, Rodrigo Sawamura deixou o posto neste mês. Um dos mais premiados sommeliers do Brasil, o paulista foi campeão nacional no concurso realizado pelo Instituto da Cerveja Brasil em 2016 e ficou no pódio do Beer Sommeliers World Cup de 2017.

"Não foi nada planejado", comentou Sawamura, de São Paulo, onde reside, em entrevista à Beer Art.

Ele confirmou que 30 de março foi o seu último dia de trabalho para a instituição com sede em Blumenau (SC). Engenheiro de alimentos, chef internacional e mestre em estilos, Rodrigo Sawamura tem como objetivo agora seguir na linha de educação, tanto que este ano começou uma pós-graduação em análise sensorial, para aprofundar ainda mais os seus conhecimentos, e está em conversa com outras instituições, mas ainda não definiu seu próximo vínculo.

Rodrigo Sawamura acredita na educação como uma das armas mais poderosas para o desenvolvimento do mercado para as cervejarias independentes (habitualmente chamadas de artesanais). É preciso deixar o produto mais acessível e aumentar o número de consumidores. Para ambos os desafios, a base é educar (tanto quem produz quanto quem consome).

"A gente tem expandido em número de cervejarias, mas a gente tem dividindo o bolo pela mesma quantidade de pessoas", alerta. "O grande desafio é incrementar a população de consumidores. É importante trabalhar para a conscientização sobre o produto, conseguir justificar o diferencial de preço e tornar o produto acessível."

Com 40 anos de idade, Sawamura se dedica ao mercado cervejeiro há 15 anos, em diferentes perspectivas: no início com atuação comercial em fornecedora de equipamento de microfiltração para indústria de chope, depois seis anos como sommelier e nos últimos três anos na área acadêmica. Ele também tem uma plataforma para a área chamada TasteLab.

Na Escola Superior de Cerveja e Malte, sua primeira missão foi a formatação do curso de Master em Estilos. Quando foi anunciada a sua contratação pela ESCM, em novembro de 2017, a Instituição destacou o foco em formar um corpo docente com professores que, além de uma "respaldada formação teórica, ainda possuem vivências em diversas áreas".