Dogma lança rede de franquias

Cervejaria paulistana cria modelo para replicar o Tasting Room pelo país

Capitais e interior paulista são o foco da expansão (Fotos: Divulgação)

Capitais e interior paulista são o foco da expansão (Fotos: Divulgação)

Resultado da fusão de três cervejarias, a Dogma, nascida em 2015, tornou-se uma das mais prestigiada do cenário artesanal brasileiro. Depois de inaugurar o seu tasting room, a empresa agora aposta na expansão por meio de uma rede de franquias. No total, a marca investiu R$1,5 milhão para dar o pontapé inicial.

A empresa foi fundada por três amigos, que já tinham suas próprias marcas de cerveja, mas decidiram se juntar e criar uma só: Leonardo Satt (Prima Satt), Luciano Silva (Noturna) e Bruno Moreno (Serra de Três Pontas).

Hoje, a marca tem mais de 150 rótulos que vão desde cervejas envelhecidas em barris de vinho até ingredientes como cacau, manga, café, baunilha e tangerina. As embalagens com ilustrações que beiram o lúdico, assim como seus nomes, conquistaram rapidamente a atenção do mercado, tanto que em 2017 eles decidiram abrir o seu próprio bar na região da Santa Cecília.

Leonardo Satt conta:

“Em um ano com o tasting room conseguimos faturar mais de R$1 milhão. Nossa capacidade instalada é de 3.500 litros e o faturamento é de R$180 mil por mês.”

Bruno Moreno comenta:

“Muitas pessoas de várias regiões do país questionavam se tínhamos bares próprios em outros endereços, por isso sentimos que era o momento de nos lançarmos no franchising.”

A marca espera inaugurar duas franquias neste ano e mais seis até o final de 2020.

“O franqueado terá condições comerciais de compra com um valor abaixo do mercado e auxílio nas ações de marketing”, explica Luciano Silva.

Para a expansão, os proprietários da Dogma se baseiam no movimento do mercado. Uma pesquisa da Kantar Worldpanel apontou que o consumo de cerveja apresentou crescimento no último ano no Brasil. Em 2016, a bebida era consumida em 62,3% dos lares, percentual que subiu para 62,7% em 2017 e para 63,4% em 2018. O estudo ainda revelou que é longe de casa que ocorre a maior parte do consumo: 64% do volume total de cerveja é consumido fora do lar e que o que mais pesa na escolha do produto é a busca por sabor (62%).

Já em um levantamento feito pela Mintel, divulgado em novembro de 2018, apontou que consumidor de cerveja prefere qualidade a quantidade, sendo que 57% dos brasileiros afirmaram preferir beber pequenas quantidades de cerveja mais cara a grandes quantidades de cerveja de menor custo.

Dados como estes impulsionam o setor cervejeiro, um dos mais tradicionais do Brasil. A expansão da cerveja artesanal é prova disso. O país fechou o ano de 2018 com 889 cervejarias em operação. Nessa soma estão apenas as que têm fabricação própria, portanto se somadas às ciganas (que usam instalações de terceiros) a quantidade é bem maior. Estes números fazem parte do Anuário da Cerveja no Brasil 2018, divulgado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Além de uma geladeira repleta dos rótulos da marca, a proposta é replicar o projeto de um bar amplo e intimista, no qual o balcão é um destaque a parte, sendo o ambiente ideal para curtir as cervejas. A franquia nasce para apresentar um estilo de beber despretensioso, sem muitas formalidades, ideal para ir sozinho, a dois ou com a turma toda. É um modelo de negócio totalmente diferenciado, onde o simples e o descomplicado se sobressaem.

As torneiras engatadas terão menu mutável, já que faz parte da essência da marca criar novas receitas a todo momento. Serão comercializadas em copos de 180ml, 350ml e 510ml e os valores irão variar de acordo com o estilo do chope escolhido. A água mineral não terá custo.

Com os acessórios, a franquia também irá introduzir em seu menu comidas elaboradas e desenvolvidas exclusivamente pela marca. Também é possível realizar parcerias com food trucks, desde que fique clara a separação dos negócios.

A franquia, que vem para surpreender e gerar experiências etílicas e comportamentais únicas, contou com a Cherto, consultoria em franquias, formatação e expansão de negócios, que planejou e estruturou o modelo de negócio.

“Foi um prazer e uma honra para a equipe da Cherto trabalhar com a Dogma nesse projeto de desenvolvimento de rede de franquias e que envolve um segmento que vem crescendo cada vez mais: o de cervejas artesanais de alta qualidade”, comenta Fernando Campora, Sócio-Conselheiro da Cherto.

O plano da franquia

Conforme os dados divulgados pela Dogma:

Investimento fixo: R$ 400mil

Taxa de franquia: R$ 40mil

Faturamento médio (previsto): a partir de R$ 120mil

Lucratividade (prevista): 15%

Tempo de retorno (previsto): 30 meses

E-mail para contato: contato@cervejariadogma.com.br

Endereço: Rua Fortunato, 236 – Vila Buarque, São Paulo/SP

Regiões para expansão: capitais brasileiras e interior de SP

Taxa de royalties: 5%

Funcionários: 3 a 5

Taxa de publicidade: 2%

Capital de giro: R$ 50mil

Área: 60 a 100 m²

Prazo de contrato: 60 meses