Ambev oferece estrutura para cervejarias ciganas

Projeto na Bohemia, em Petrópolis, começa com a Motim e lançará a sua primeira cerveja em maio

Produção utiliza a estrutura da Bohemia, na serra fluminense (Foto: Divulgação)

Produção utiliza a estrutura da Bohemia, na serra fluminense (Foto: Divulgação)

Em um novo projeto, a Ambev - o maior grupo cervejeiro do Brasil (que faz parte do maior do mundo, a AB InBev) -, passa a oferecer estrutura para cervejeiros ciganos, aqueles que não possuem estrutura própria. O conceito, conforme a empresa, é dar a eles "oportunidade de criar, produzir e levar seus rótulos a mais consumidores" e "fomentar a cultura cervejeira no país e fortalecer o mercado". A iniciativa começa na Bohemia, em Petrópolis (RJ), e a primeira marca cigana parceira é a carioca Motim.

A expectativa é que, no caso da Motim, sejam produzidos até 6 mil litros do primeiro rótulo, a Hoppy Lager Hell de Janeiro, com lançamento em maio. A cerveja criada será produzida com a utilização da estrutura da Cervejaria Bohemia, como maquinários e controles de qualidade, além dos insumos e acompanhamento de mestres-cervejeiros da Cervejaria Ambev, que também prestarão consultoria durante todas as etapas do processo produtivo.

Marcelo Tucci, diretor de cervejarias artesanais da Cervejaria Ambev, explica:

“Queremos compartilhar nossa expertise e fortalecer ainda mais o mercado cervejeiro, oferecendo os mais de 800 anos que temos acumulado de conhecimento e fazendo com que mais cervejarias possam produzir mais e com mais qualidade. Não vamos ter qualquer tipo de lucro com o projeto. Nosso foco é o consumidor, que terá à disposição cada vez mais rótulos, estilos, aromas e sabores diferentes.”

Além da produção, a Ambev pode oferecer suporte para embalagens, distribuição e, até mesmo, direcionar a participação em eventos relevantes do mercado cervejeiro.

“Queremos criar um ecossistema ao lado de nossos parceiros compartilhando conhecimento cervejeiro da forma mais ampla possível”, complementa Tucci.

Conforme a Ambev, a partir desta parceria, as cervejarias ciganas podem ganhar mais escala de produção, tendo oportunidades melhores de visibilidade e acessibilidade, inclusive, em termos de distribuição para PDVs de todo o país. Os cervejeiros também contarão com a Nano Cervejaria da Bohemia, uma estrutura completa para a produção de 250 litros de cerveja, para testar e desenvolver receitas experimentais em chopp.

Salo Maldonado, fundador da Motim, comenta:

“Acreditamos que a criatividade e a diversidade são necessárias para o crescimento do movimento cervejeiro. Como nós, a Cervejaria Ambev compartilha deste pensamento e por isso estamos felizes em fazer parte de um projeto que promete ser muito importante para o futuro da cerveja no Brasil. Acredito que marcará uma nova fase do mercado cervejeiro no país.”