Guia do Museu da Cantillon ganha tradução para o português

Douglas Merlo fez a versão do texto que atende à cada vez maior fatia de turistas brasileiros

No Museu da Cantillon, Jean Van Roy e Douglas Merlo (Foto: Divulgação)

No Museu da Cantillon, Jean Van Roy e Douglas Merlo (Foto: Divulgação)

Entre os milhares de beer hunters do mundo todo que visitam o Museu Cantillon, em Bruxelas, junto à cervejaria belga, cada vez mais numerosa é a presença de brasileiros. Até há pouco tempo, eles tinham de se virar com as informações em nglês, francês ou italiano. Por obra do sommelier e juiz cervejeiro Douglas Merlo, agora a instituição oferece também um guia traduzido para o português.

Os apaixonados por cervejas belgas buscam informações e conhecimento sobre a cerveja originária Pajotelland e Anderlecht, uma pequena região nos arredores de Bruxelas. Somente em Pajottenland são produzidas as cervejas Lambic que após blendadas dão origem as Gueuze.

O guia oferecido nas visitações guiadas pelas instalações da Cantillon traz informações importantes sobre as características e história da cervejaria e da Lambic. A própria Cantillon solicitou ao sommelier Douglas Merlo a tradução para o português.

Visitantes brasileiros e de outros países de língua portuguesa, como Portugal, Angola e Moçambique, poderão acompanhar as visitas com o guia em sua língua nativa.

Museu Cantillon: Como visitar

As visitas podem ser individuais ou em grupos, porém sempre com agendamento.

Também é possível fazer uma visita autoguiada, para pessoas que não efetuaram o agendamento, mas esta é uma opção de risco.

A Expedição Cervejeira sempre visita a Cantillon e quase sempre tendo como guia o próprio Jean Van Roy.

Talvez você tenha sorte para ver a fabricação de cerveja ou o engarrafamento, talvez você veja como os barris são limpos ou como as cervejas de frutas são feitas no verão.

De qualquer forma, você poderá experimentar um verdadeiro Gueuze-Lambic tradicional e, se você quiser saber mais sobre o Kriek ou o Framboise, basta perguntar ao cervejeiro e se tiver ainda mais sorte quem sabe seja o próprio Jean Van Roy ou seu pai, a lenda viva Jean-Pierre Van Roy.