Brasil é o 2º mais inovador mercado de cerveja artesanal

Conforme estudo da Mintel, país concentra 9% dos lançamentos, atrás apenas dos EUA (17%)

Festivais como o Slow Brew Brasil saciam a sede dos consumidores por inovação (Foto: Divulgação)

Festivais como o Slow Brew Brasil saciam a sede dos consumidores por inovação (Foto: Divulgação)

Retratada em levantamentos de abertura de empresas, quadro de medalhas e multiplicação de festivais, a expansão da cerveja artesanal brasileira ganha agora uma nova referência relevante. Análise da Mintel, instituição de pesquisa de negócios, aponta o mercado das artesanais do Brasil como o segundo mais inovador do mundo, atrás apenas do norte-americano. Conforme o estudo, em 2017 os EUA concentraram 17% de todos os lançamentos de cervejas artesanais, enquanto o Brasil atingiu a marca de 9%.

Para Jonny Forsyth, diretor da Mintel Food & Drink, em declaração reproduzida pelo portal da Food Navigator, um dos principais motivos pela obsessão do mercado brasileiro pela inovação é o fato de por muitos anos o mercado ter sido dominado de forma hegemônica pelas grandes cervejarias, sob uma escassez de opções que não fossem suas American Light Lagers.

"Foram precisamente essas as condições que levaram à insurreição nos EUA nos anos 1980/90, e o Brasil está vivendo um processo similar", observou. "Nessas condições de mercado, os consumidores ficam frustrados e entediados com a falta de opções e assim se tornam mais receptivos a um segmento como o das artesanais, que celebra a inovação, a qualidade e a variedade."

Não por acaso grandes cervejarias no Brasil vem desenvolvendo projetos como a da Skol Hops, voltados a um apreciador cada vez mais comum (e mais difícil de conquistar): aquele que, em vez de ser apegado à mesma "gelada" de sempre, é fiel à experimentação.

Para ler a matéria da Food Navigator (em inglês), clique aqui.