Brasil assume a vice-presidência em Bloco Cervejeiro latino-americano

Integração entre cervejarias e criação de ações em conjunto estão entre os objetivos do grupo

O bloco cervejeiro conta com a participação de 16 países. A próxima reunião será em novembro (Foto: Divulgação)

O bloco cervejeiro conta com a participação de 16 países. A próxima reunião será em novembro (Foto: Divulgação)

O movimento do setor cervejeiro está a pleno vapor, não só em relação ao número de novas marcas, mas também em práticas que visam fortalecer o segmento. E uma dessas ações ocorreu no dia 14 de fevereiro, no Panamá. Dezesseis associações de cervejarias independentes se reuniram para a formalização de um Bloco Cervejeiro latino-americano. Representado pela Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracerva), o Brasil assumiu a vice-presidência do grupo. O Uruguai presidirá o bloco.

Entre os principais objetivos está a integração das associações e cervejarias latino-americanas independentes. Com a aproximação das nações, a ideia é criar estatísticas comuns de mercado, análises mais completas e comparações das realidades tributárias para, assim, propor novas medidas supranacionais de fortalecimento do setor.

Para Carlo Lapolli, presidente da Abracerva, este é um passo importante para o segmento:

“É essencial conhecermos de perto outras realidades, termos dados mais concretos para podermos pensar em ações para consolidar o movimento das artesanais. Com essa aproximação e o trabalho em conjunto dessas associações, todos têm a ganhar”, comenta.

 

A próxima reunião do Bloco Cervejeiro Latino-americano está marcada para novembro, no Uruguai.

Além dos países que compõem a presidência, integram o movimento: Peru, Costa Rica, Argentina, Equador, Panamá, México, Chile, Paraguai, Colômbia, El Salvador, Honduras, Guatemala, República Dominicana e Nicarágua.