Bauernfest bate recorde com 450 mil visitantes

Estimativa é de que a festa germânica tenha injetado R$ 55 milhões na economia de Petrópolis

Festa do Colono Alemão em Petrópolis oferece diferentes atrações e palcos (Foto: Edgar Pujol/Divulgação)

Festa do Colono Alemão em Petrópolis oferece diferentes atrações e palcos (Foto: Edgar Pujol/Divulgação)

Com sete dias a mais neste ano, a Bauernfest bateu recordes de público e movimentação na economia de Petrópolis (RJ). De 14 a 30 de junho, a Cidade Imperial se vestiu com as cores da Alemanha e recebeu mais de 450 mil pessoas, com uma movimentação estimada em R$ 55 milhões. Turistas de todo o país aproveitaram os espaços do evento e muitos chegaram nos mais de 1,5 mil ônibus e vans de excursão – maior número já recebido durante um evento. Hotéis e pousadas também comemoram a ocupação, que ultrapassou os 90% em todos os fins de semana no Centro Histórico e arredores. No comércio, como da Rua Teresa, algumas lojas chegaram a faturar um aumento de 35% nas vendas.

Em 17 dias de Festa do Colono Alemão, mais de 200 atrações celebraram a presença da cultura germânica na cidade da serra fluminense. Além de 40 barracas espalhadas pelo Palácio de Cristal, Rua Alfredo Pachá e Praça da Liberdade, que ofereciam comidas típicas e muito chope, artesanato e souvenir. Em toda a festa, a estimativa é de que tenham sido vendidos mais de 9,5 toneladas de salsichão e 150 mil litros de chope em toda festa.

A presidente do Clube 29 de Junho, Emygdia Hoelz, destacou:

“A festa é importante pra resgatar a cultura e as tradições germânicas trazidas com os colonos que chegaram a partir de 1945. A festa foi muito boa, correu muito bem.”

O Palácio de Cristal, o coração da festa, contou apenas com empresas, produtores e cervejeiros petropolitanos. É assim desde 2018, quando foi sancionada a lei regulamentando a autorização do espaço que fica nos jardins do atrativo para que receba apenas empresas petropolitanas, que tenham produtos típicos culturais alemães, mantendo assim a tradição e as raízes germânicas. E garantiu assim, também, a presença das cervejas artesanais, que, só na barraca do Palácio, vendeu mais de 30 mil litros de chope, fora o Biergarten, realizado na Praça Visconde de Mauá (Praça da Águia).

Felipe Rabah, da Cervejaria Odin, ressaltou:

“Foi a melhor da história. Batemos recordes. A festa ficou lotada todos os dias, não teve um dia que não estivesse lotada. Somos a Capital Estadual da Cerveja, e os turistas ficaram impressionados de como Petrópolis está bem servida de cervejas artesanais.”

Turistas vindos de todo país elogiaram o evento. É o caso do engenheiro de produção Felipe Autoer, de Natal (RJ):

“Achei a festa bem legal, interessante ver essa tradição.”

O casal Leomara Ferreira, auxiliar de cartório, e Luiz Carlos Cunha, arquiteto, de São Gonçalo, comemorava 31 anos de casado com toda a família. Há 20 anos celebra a data na Bauernfest, com direito a bolo e noivos de enfeite. O grupo estava em 12 pessoas.

“Amo essa festa, amo esse local, por isso que venho sempre. Adoro o chope e o clima”, explicou Leomara.

“Há 20 anos viemos comemorar aqui porque amamos Petrópolis e calhou de ter a festa, mas desde então a gente sempre comemora aqui e trago a família toda comigo. Além do chope, o clima é fantástico e o povo alemão, as músicas, a cultura alemã me deixa perplexo”, completou o marido.

Os desfiles, dois Folclóricos nos domingos, e dois de Lanternas, nos sábados, estiveram entre os destaques da programação. O último foi realizado na manhã de 30 de junho.

A turista Tânia Regina comentou:

“Foi maravilhoso, eu subo a Serra todo ano para ver esse desfile. Curto muito e curto esse clima de Serra, é muito lindo”

Até o cônsul geral da Alemanha no Rio de Janeiro, Klaus Zillikens, participou e elogiou:

“É uma festa muito grande, com muito sucesso. Já sei que foi um recorde. E é muito legal que é uma festa para toda população.”

Comerciantes e todos que trabalharam diretamente na festa já colhem os frutos do movimento na segunda maior festa do segmento no país.

O vendedor Benedito dos Santos, de uma das barracas da Rua Alfredo Pachá, explicou:

“Este ano está excelente, tivemos uma semana a mais e vendemos bastante. Esse ano bateu o recorde de vendas, estamos muito satisfeitos. A gente procurou fazer o melhor para os visitantes. Vendemos uma média de 10 caixas de salsichão por dia.”

Fora da festa, diversos setores também faturaram. A começar pelas casas que foram alugadas no entorno do evento, que receberam, por exemplo, artesanato, além do grande faturamento de taxistas, pipoqueiros, restaurantes, comércio. Na Rua Teresa, o polo de modas disponibilizou transporte gratuito para o público da festa e as lojas faturaram com o movimento. Os lojistas chegaram a registrar aumento nas vendas de até 35%.

Denise Fiorini, presidente da Associação de Lojistas da Rua Teresa (Arte), comemorou o aumento no movimento:

“Foi muito satisfatório. A rua ficou cheia e os empresários ficaram animados. Valeu a pena ter o transporte entre a festa e a Rua Teresa e esperamos que esse movimento se repita nos próximos anos.”

A Bauernfest é considerada a alta da alta temporada em Petrópolis. Turistas vindos de todas as partes do país aproveitam o evento para conhecer a cidade e se hospedar nos hotéis. Nos três fins de semana da Festa do Colono Alemão, a ocupação no Centro Histórico e arredores ficou acima dos 90%. O fim de semana do feriado de Corpus Christ, de 21 a 23 de junho, foi o mais cheio, registrando 98,9% de ocupação. Neste último dia de festa, a taxa foi de 97,04%, de sábado para domingo.

“A pousada ficou lotada, com 100% de ocupação. O movimento fica muito bom com a festa”, comentou o proprietário do Bragança Palace Hotel, Antônio Pintarel.