A nova diretoria da Abracerva

Eleição marcou o encerramento da Brasil Brau, que também teve premiação

Abracerva liderou causas como a conquista do Simples para as microcervejarias (Foto: Divulgação)

Abracerva liderou causas como a conquista do Simples para as microcervejarias (Foto: Divulgação)

A Brasil Brau – Feira Internacional de Tecnologia em Cerveja abriu suas portas para sediar a reunião oficial da Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracerva) destinada a eleger a nova diretoria da entidade. O então presidente Rodrigo Silveira, da cervejaria Invicta, de Ribeirão Preto (SP), passou o bastão para Carlo Giovanni Lapolli, fundador da Cerveja Blumenau, de Santa Catarina. A entidade conduziu o segmento para conquistas importantes, a principal delas a inclusão das microcervejarias no regime tributário simplificado, o Simples.

Algumas metas da nova diretoria, que tem Ronaldo Flor (Marketing), Marco Aurélio Piacentini (Administração), Maurício Zipf (Comunicação), Alberto Nascimento (Relações Institucionais) e Rodrigo Ferraro (Técnico), incluem avaliar viabilidade da criação de uma sede em Brasília para criar uma proximidade com o polo político do país, incentivar a realização de pesquisas de mercado e buscar parcerias com setores correlatos que podem fortalecer o segmento, como o de vinho, fornecedores e produtores diversos. A nova gestão quer implantar processos para facilitar a adesão de novos membros e criar estratégias para envolver diferentes regiões do país nas reivindicações e troca de conhecimento do setor para desenvolver polos cervejeiros em diversos estados.

A edição 2017 da Brasil Brau também teve a retomada do Prêmio Brasil Brau de Gestão de Negócios em Cerveja e divulgou dois prêmios com votação popular que elegeram o Melhor Lançamento e o Estande Mais Bonito desta edição.

Após um hiato de quatro anos desde o primeiro prêmio, a Brasil Brau abraça o desafio de instigar o segmento a prestar mais atenção na importância da gestão, comunicação, sustentabilidade e responsabilidade social. Na abertura conduzida por Luana Cloper, diretora de Negócios, e Cilene Saorin, curadora técnica, o tom foi de emoção à medida que os resultados foram revelados.

“Os trabalhos inscritos tinham diferentes níveis de maturação”, avalia Cilene.

“Nossa expectativa é que o prêmio estimule o mercado a se desenvolver cada vez mais, para além do líquido”, completa Luana.

O primeiro lugar em Design de Embalagens ficou para a Perro Libre (RS), com a cerveja 803 Black Rye IPA, dedicada ao Dia Internacional da Mulher. Com discurso engajado pela causa antissexista, puxou a fila de lágrimas no palco e na plateia que se manteve até o fim da solenidade. A organização fez menção também ao 2º lugar: Baumhardt Bier, e 3º lugar: Cervejaria Farrapos.

O melhor projeto de Sustentabilidade quem ganhou foi a Lohn Bier (Boas práticas geram boas vibrações); 2º lugar: Cervejaria Pratinha (Energia Solar e fotobiorreator de algas); 3º lugar: My Growler (Ressignificação de produto para a sustentabilidade).

Já na categoria Comunicação da cultura cervejeira, a vencedora foi a Revista da Cerveja (A consolidação de um projeto), 2º lugar: Belgo Bekaert Arames (Brasil Beer), 3º lugar: Acerva Paranaense (Boletim Informativo da Acerva Paranaense).

A categoria de Responsabilidade Social causou polêmica na premiação, pois recebeu apenas uma inscrição.

“Ficamos bastante surpresos que um mercado que cresce em média 20% ao ano não tenha pessoas investindo neste assunto”, provocou Cilene Saorin. “Mas fazemos questão de manter este desafio em pauta e nos próximos prêmios nossa missão é instingar e engajar.”

O vencedor foi o trabalho Sentimentos de Brasiliadade da Cia de Brassagem do Brasil (CBB). Segundo Alessandro Pisa, sócio da marca, “o projeto é ter uma cerveja em homenagem a cada animal em extinção e reverter a renda para instituições que cuidem desses animais”.

Expositores em destaque

Profissionais do setor que circularam pela Brasil Brau durante os três dias foram convidados a votar no Melhor Lançamento apresentado na feira e também no Estande Mais Bonito. Para o público, o ambiente mais marcante foi o da Cooperativa Agrária, logo na entrada do evento, com 175m² e um projeto cheio de simbologia. Com conceito criado pela Arkétipo Agrocomunicação, a empresa montou pilares que remetem as regiões do país onde seus representantes atuam e ao redor do stand, foram disponibilizados produtos que vêm de fora do Brasil que proporcionavam uma experiência sensorial ao visitante, que podia pegar o malte exposto, cheirar, ver a cor do mosto criado por cada um.

Já a marca alemã Bollfilter, que oferece soluções de filtro de água para indústrias, impressionou o público pela inovação, perspectiva de economia de recursos e também benefícios ambientais.

“Os produtos que a gente traz têm uma especificidade para instalações de bebidas que precisam lavar garrafas e engradados, pois geram economia e contribuem para a sustentabilidade”, resume João Távora, representante da multinacional no Brasil.

Carlo Lapolli deixa o comando da Acasc, a entidade catarinense, para suceder a Rodrigo Silveira, da Invicta, de Ribeirão Preto, na organização nacional (Foto: Divulgação)

Carlo Lapolli deixa o comando da Acasc, a entidade catarinense, para suceder a Rodrigo Silveira, da Invicta, de Ribeirão Preto, na organização nacional (Foto: Divulgação)