Cervejarias

Invicta, de 1.000 amargores às 6 da tarde

Invicta é a mais jovem, porém mais surpreendente, representante de um município de rica tradição cervejeira, Ribeirão Preto

A 6 o'clock e a Sexta-Feira foram produzidas na Invicta com Shane Welch, da Sixpoint (Foto: Rogério Volgarine, @cervejaecomida/Especial para a Beer Art)  

A 6 o'clock e a Sexta-Feira foram produzidas na Invicta com Shane Welch, da Sixpoint (Foto: Rogério Volgarine, @cervejaecomida/Especial para a Beer Art)  

Texto: Fabricio Santos - FullPintBR
Fotos: Rogério Volgarine @cervejaecomida
Beer Art 11 - out/14

Ribeirão Preto (SP) - Levando em consideração a forte tradição cervejeira de Ribeirão Preto (SP), a Cervejaria Invicta ainda era pra ser um embrião. E deixemos no campo do “era” mesmo, pois a história marcante e precoce dos primeiros três anos recém completados traz à tona um carrossel em espiral explosiva: várias e várias medalhas, mais de 10 rótulos em linha constante e ainda um bar em frente, que deixa você provar isto tudo ali, fresquinho, recém tirado do tanque.

A experiência nos ensina que a melhor cerveja é aquela de que você vê a chaminé da fábrica. O que dizer de um bar em que você vê a cozinha que fez a cerveja que você está bebendo? Sempre com pelo menos três estilos diferentes nas torneiras, você ainda encontra ali toda a linha da cervejaria e muitas outras cervejas nacionais e importadas. Pão de malte no cardápio, joelho de porco defumado na própria cozinha do bar... Mimos difíceis de encontrar em uma cervejaria!

Voltando à história da Invicta, que na verdade começou muitos anos antes de existir: seu proprietário e mestre cervejeiro Rodrigo Silveira começou no ofício bem lá atrás, como prático na hoje “concorrente” (entre aspas, por se tratarem na verdade de grandes parceiros e amigos) Cervejaria Colorado – um dos ícones da cerveja artesanal brasileira – no começo dos anos 2000. De lá partiu para respirar, já como mestre cervejeiro, ares maiores: integrou a equipe da Schincariol (hoje Brasil Kirin) e lá “pegou o jeito” de grandes produções e grandes resultados. Já com a bagagem pronta pra voltar pra Ribeirão Preto, Rodrigo ainda passou um tempo trabalhando na Cervejaria Dama, de Piracicaba/SP, e logo depois fundou com seu tio a Invicta.

Timidamente, mas com grandes investimentos, começava a cervejaria, com dois pares de tanques (hoje são mais de 10) e logo de cara produzindo uma Imperial IPA, entre as melhores nacionais até hoje.

Passou o tempo, e vierem então lançamentos em garrafas, como a IBA (India Black Ale) feita e forma surpreendente, quando a cervejaria previamente enviou kits para blogueiros e experts do setor e fez o lançamento com pessoas abrindo pela primeira vez garrafas desde Fortaleza até Porto Alegre.

Aliás, a Invicta é bem conhecida não só pelas excelentes cervejas, mas também pelas grandes sacadas: Rodrigo teve a sagacidade de lançar a 1000 IBU de uma forma incrível, que chamou a atenção pra valer, pra uma cerveja que merece: difícil encontrar um amante de lupuladas que não tenha este rótulo no seu TOP3.

Produções ciganas já foram (e ainda são) feitas nas dependências da Invicta: 2 Cabeças, Júpiter e, mais recentemente, rótulos como Cafuza e Green Dream das paulistanas STP e Noturna engordam a lista.

Antes disso, vale registrar que é a única cervejaria que produz cervejas pra uma banda de rock, a safada e deliciosa Velhas Virgens, de maneira que a banda participa das criações – na verdade as receitas são do cervejeiro caseiro e baixista da banda Tuca Paiva – e desenvolve a cerveja para a banda e não apenas troca o rótulo. As 3 já produzidas até hoje (English IPA, Wit com casca de limão cravo e Brown Ale com baunilha) são exclusivas das Velhas e retratam bem o que a banda quer para o seu público: trazer pessoas que só bebem main streams para o mundo das especiais.

Se o leitor ainda me permite: todo ano faço uma cerveja comemorativa de aniversário do Blog. Estou com a do quinto ano já em desenvolvimento na Invicta. As 3 últimas, aliás, foram feitas lá também, incluindo a última que levou café Jacu na receita. Um sucesso!

Mais recentemente, Rodrigo foi convidado a ser vice-presidente na América Latina da Global Association of Craft Beer Brewers (Associação Global dos Cervejeiros produtores de Cerveja Artesanal). Além de ser uma enorme honra, rendeu-lhe bons frutos: “Até hoje não consigo acreditar que tive em minha cozinha um dos maiores e melhores cervejeiros do mundo, produzindo comigo a sexta-feira e 6 o’clock”, comenta Rodrigo, citando Shane Welch, que brassou em Ribeirão Preto as duas cervejas pela primeira vez. A 6 o’clock inclusive entrou para a linha da cervejaria e permanece como uma das mais cotadas, ao lado da 1000 IBU.

Bavarian IPA feita com a flor Damiana contou com o apoio da sommelier Amanda Reitenbach (Foto: Rogério Volgarine, @cervejaecomida/Especial para a Beer Art) 

Bavarian IPA feita com a flor Damiana contou com o apoio da sommelier Amanda Reitenbach (Foto: Rogério Volgarine, @cervejaecomida/Especial para a Beer Art) 

A Invicta lançou agora comemorando seus 3 anos a cerveja batizada pela própria cervejaria como uma Bavarian IPA − somente lúpulos germânicos entram na receita. A cerveja ainda tem uma peculiaridade: foi feita com uma flor conhecida como Damiana, que segundo as crenças indígenas na América Central confere vigor sexual! A cerveja contou com o apoio da sommelier Amanda Reitenbach para dar um toque feminino à receita.

A Marzen vencedora do 5º Concurso da Acerva Paulista (Foto: Reprodução)

A Marzen vencedora do 5º Concurso da Acerva Paulista (Foto: Reprodução)

Mais recentemente, a Invicta produziu a Oktoberfest Marzen Bier vencedora do 5º Concurso da Acerva Paulista, a Invicta Oktober.

No plano futuro da cervejaria está agora reinventar a receita da Imperial Stout, passando de 9 para 10% ABV e firmando-a como uma das também melhores Imperiais Stouts no Brasil. O crescimento por lá não para. O prédio está apertado já. Grandes novidades virão. Talvez por isto a tag usada pela cervejaria seja sempre #invictos. Talvez aí esteja o segredo do nome: pessoas que sabem o que fazem, com bons equipamentos, grande reconhecimento e uma carga de experiência incrível. Esta é a mais jovem, porém mais surpreendente cervejaria de Ribeirão Preto.

Já vi pessoas cometendo a infelicidade em afirmar que o cervejeiro não é parte essencial de uma cervejaria. Ledo engano. Ao meu ver, inclusive, as mãos do cervejeiro é que forma o tão misterioso “terroir” de uma cerveja/cervejaria. Quando o dono é o cervejeiro, a facilidade de manter a identidade sensorial e da qualidade sempre é mais latente.

Não é em vão o slogan: “Nosso segredo é todo seu”. Aproveite!

Veja galeria com mais fotos da Invicta, por Rogério Volgarine @cervejaecomida (clique na imagem para ver a seguinte)

Endereço da Invicta: Av. do Café, 1365 - Vila Amelia, Ribeirão Preto (SP)

 

Ver outras cervejarias destacadas pela seção Fonte

Rodrigo Silveira, que começou como prático da Colorado e passou por outras cervejarias, imprime o seu estilo em lançamentos com o da 1000 IBU (Foto: Rogério Volgarine, @cervejaecomida/Especial para a Beer Art) 

Rodrigo Silveira, que começou como prático da Colorado e passou por outras cervejarias, imprime o seu estilo em lançamentos com o da 1000 IBU (Foto: Rogério Volgarine, @cervejaecomida/Especial para a Beer Art)