Cervejarias

Cervejaria Pratinha apresenta nos EUA projeto de realidade aumentada

Cervejaria de Ribeirão Preto participa da 34ª Craft Brewers Conference & BrewExpo America

A Cervejaria Pratinha, com sede em Ribeirão Preto (SP), foi a única do Brasil a ser case na 34ª Craft Brewers Conference (CBC 2017) & BrewExpo America, realizada em Washington, nos Estados Unidos, entre 10 e 13 de abril. Seu projeto de realidade aumentada, que permite, por meio de um aplicativo de celular, “dar vida” aos porta-copos da Pratinha, chamou atenção de milhares de visitantes durante o evento, um dos maiores do mundo do setor cervejeiro, que reuniu 12 mil participantes e 800 expositores.

A tecnologia foi desenvolvida pela multinacional Daruma Tech a partir de uma demanda da Omni Labs, responsável pela criação de todo o layout e conteúdo do aplicativo da Cervejaria Pratinha, que pode ser baixado tanto na Apple Store quanto no Play Store (Android). Ao abrir o tópico “Realidade Aumentada”, basta colocar o porta-copo na tela, como se fosse tirar uma foto, para ver os desenhos em movimento.

José Virgílio Braghetto com Charlie Papazian, fundador da Brewers Association (Foto: Divulgação)

José Virgílio Braghetto com Charlie Papazian, fundador da Brewers Association (Foto: Divulgação)

Durante o evento, o diretor da Cervejaria Pratinha, José Virgílio Braghetto, encontrou-se com Charlie Papazian, fundador da Brewers Association e um dos maiores conhecedores do mundo em cervejas caseiras e artesanais.

Tecnologia

A cervejaria tem uma obsessão pela tecnologia. Entre suas missões, está testar protótipos e desenvolver técnicas e tecnologia em um processo um contínuo de inovação. Como resultado deste trabalho, a empresa é uma das poucas no Brasil a terem uma centrífuga que substitui o filtro utilizado normalmente para deixar a cerveja cristalina. Este equipamento é alemão, de uma empresa subsidiária da Mercedes Benz. Braghetto explica mais:

“O processo da centrífuga irá retirar as partículas em suspensão: malte, lúpulo e até fermento. Assim, a pasteurização poderá ser mais branda, já que não haverá tantas leveduras ainda na cerveja. Algumas cervejarias já usam centrífugas, mas seremos uma das primeiras a utilizá-la antes de mandar a cerveja para o tanque, onde haverá a fermentação e a maturação, e também depois da passagem pelo tanque, o que deixará a cerveja ainda mais cristalina.”