Cerveja, Destaque

Ambev confirma a maior negociação da história da cerveja

Juntas, a Ambev (InBev) e a SAB Miller concentram 39% de sua receita na América do Sul

Juntas, a Ambev (InBev) e a SAB Miller concentram 39% de sua receita na América do Sul

Compra da SAB Miller uniria os dois maiores grupos, que detêm metade do mercado global

A Anheuser-Busch InBev NV, mais conhecida no Brasil como Ambev, confirmou em 16 de setembro a intenção de fazer uma oferta pela concorrente SABMiller. Assim se tornou oficial a negociação, que vinha sendo especulada nas semanas anteriores. Quando consumado o negócio - não antes de 2017 -, unirá os dois maiores grupos cervejeiros, que - com marcas como Budweiser e Pilsner Urquell, entre outras centenas -, controlam a metade do lucro global no segmento. Uma região onde este impacto pode ser mais sentido é a América do Sul, que representa 39% da receita de ambas conforme a Bloomberg, que noticiou a oferta em plantão (breaking news). O apetite da Ambev inclui micro e pequenas cervejarias também (leia aqui).

 
 

Passados três meses da confirmação da negociação, a fusão, embora já aceita pela SABMiller, ainda depende de uma série de providências para ser formalizada. Neste início de dezembro, o CEO da AB InBev, Carlos Brito, enfrenta os temores dos congressistas americanos, que o convocaram a dar explicações. O Parlamento preocupa-se com o impacto que a união das duas maiores empresas da indústria terá sobre a concorrência e os clientes.

Em outra frente, a Europa, a InBev planeja a venda de algumas das marcas mais fortes da SABMiller, incluindo Peroni e Grolsch, o que ajudará a aliviar a conta de 73,5 bilhões de libras (US$ 110 bi) necessários para fechar o negócio e, mais importante, reduzir o risco de complicações de normas antitruste. Uma das marcas que também podem ser vendidas é a Meantime Brewing Co, cervejaria independente britânica adquirida neste ano pela SABMiller.

A aquisição da SABMiller, quando consolidada, será a maior da história na indústria da cerveja. Uma fusão vinha sendo apontada como provável porque os grupos têm complementação geográfica e o fato de não serem controlados por uma fundação familiar, como os principais concorrentes, a Heineken e a Carlsberg.

Com sede em Londres (Inglaterra) e origem em Johannesburgo (SAB quer dizer "South African Breweries"), a empresa nasceu no século 19 e se consolidou como segundo maior grupo cervejeiro do mundo só em 2002, a partir da fusão da SAB (fundada em 1895) com a Miller Brewing Company (fundada em 1855 em Milwaukee, Wisconsin/EUA). Tem 70 mil empregados em mais de 80 países e produz mais de 200 rótulos de cerveja.

 

LEIA TAMBÉM