Bäcker sela com medalhas os 20 anos de cerveja

Cervejaria de Minas se consolida como uma das principais independentes do Brail

 A Black IPA do Cerrado é uma das cinco medalhas de ouro da Bäcker no Concurso Brasileiro de Cervejas 2018 (Foto: Erwin Oliveira, Agência Kah/Divulgação)

A Black IPA do Cerrado é uma das cinco medalhas de ouro da Bäcker no Concurso Brasileiro de Cervejas 2018 (Foto: Erwin Oliveira, Agência Kah/Divulgação)

Criada em setembro de 1998, a receita do chope Bäcker conquistou os clientes da Três Lobos, antiga casa de shows de Belo Horizonte (MG). A resposta levou os empresários Halim e Paula Lebbos e Munir Khalil a investirem em um espaço, no qual iniciaria a produção da "primeira cerveja artesanal de Minas Gerais", em outubro de 2005. Essa trajetória de 20 anos, recentemente recompensada com cinco medalhas de ouro e uma de prata no Concurso Brasileiro de Cervejas, em Blumenau (SC), consagra a Bäcker como uma das principais cervejarias independentes do Brasil.

Além das seis medalhas, a marca mineira se destacou entre as cervejas do Best of Show (as melhores das melhores), com o segundo lugar para a Cacau Bomb. Também mereceram ouro a Medieval, na categoria Belgian Style Blond Ale, a Las Mafiosas Corleone, na categoria Imperial Red Ale, a Bäcker Cabral, na categoria Britsh-style Barley Wine Ale, e a Black IPA do Cerrado, na categoria Brazilian Beer com ervas especiais. A de prata foi para a Exterminador de Trigo, na categoria Herb and Spice Beer.

Paula Lebbos, diretora de marketing da cervejaria, definiu esse conjunto de medalhas como a afirmação que a Bäcker está no caminho certo, investindo em qualidade:

“Um orgulho para nossa família, que possui uma equipe tão qualificada que resulta sempre no reconhecimento dos formadores de opinião e no mercado.”

Nos pavilhões de Blumenau, o mestre-cervejeiro da empresa, Sandro Duarte, ressaltou o elevado nível dos concorrentes e várias cervejas renomadas:

“Mais uma vez, saímos daqui com resultados importantes e com a certeza que estamos fazendo um ótimo trabalho. Vale a pena o investimento contínuo que estamos fazendo no controle de qualidade, ingredientes selecionados e receitas diferenciadas.”

No estande no Festival Brasileiro da Cerveja, a marca mineira apresentou lançamentos ao mercado: Fargo, Cabral e Belorizontina. A Fargo 46 é uma cerveja de estilo escocês, também conhecido como Wee Heavy ou Strong Scotch Ale. É uma homenagem à paixão dos fundadores da cervejaria por carros antigos. Apresenta coloração marrom escuro e aromas maltados intensos remetendo a caramelo e sutil defumado. De corpo denso e sabor rico de maltes tostados com amargor baixo e final ligeiramente caramelado.

A Cabral é uma homenagem às cervejas produzidas para a aristocracia inglesa do século 18 cujo objetivo da época era oferecer uma cerveja com teor alcoólico e complexidade similar ao do vinho. Apresenta uma rica e complexa gama de aromas e sabores como o elegante aroma de uvas e ameixas passas, notas de caramelo, toffee e melaço. Corpo denso e sabor rico de malte é uma verdadeira iguaria de inverno. E assim como um bom vinho suas notas vão ficando ainda mais complexas com a guarda prolongada.

A Belorizontina, lançada em dezembro, como uma homenagem aos 120 anos da capital mineira, se encaixa no estilo Pilsen, com Dry Hopping de lúpulos franceses, sendo uma cerveja de baixa fermentação, coloração amarelo claro, translúcida, de espuma branca, farta e persistente, de baixo amargor e excelente drinkability, que a torna especial.