Ambev

O ateliê da cerveja Wäls

Espaço em Belo Horizonte mistura inovação e arte, entre barris que maturam cerveja

À frente do projeto estão os irmãos José Felipe e Tiago Carneiro, fundadores da Wäls (Foto: Divulgação)

À frente do projeto estão os irmãos José Felipe e Tiago Carneiro, fundadores da Wäls (Foto: Divulgação)

Um espaço amplo, contemporâneo e repleto de barricas de madeira onde mais de 100 mil litros de bebida estão envelhecendo e fermentando, cada rótulo no seu devido tempo. Com o nome de Ateliê Wäls, é apresentado como o maior barrel room da América Latina e dedicado apenas ao envelhecimento de cervejas. À frente do projeto estão os irmãos e fundadores da Wäls, José Felipe e Tiago Carneiro.

O novo espaço é um "centro de inovação cervejeira" cravado entre as belas montanhas de Minas, em Belo Horizonte. Se do lado de fora o visual encanta, a parte interna foi concebida para ser uma obra de arte que mistura design, arquitetura, tecnologia e primorosas receitas.

Desde que a cervejaria mineira passou a integrar a Ambev em 2015, os irmãos Carneiro têm rodado o mundo conhecendo cervejarias, especializando-se ainda mais no assunto, e agora trazem para a capital mineira o novo conceito que a Wäls enxerga para este mercado. Eles exaltam a importância de aliar o conhecimento adquirido nos 17 anos de mercado da Wäls às possibilidades proporcionadas pela Ambev, destaca José Felipe:

“Por meio da Ambev, tivemos acesso à tecnologia e profissionais de ponta do mercado cervejeiro, além de ingredientes exclusivos, conhecimento técnico para novos produtos e capacidade de investimento. Fazemos parte da maior cervejaria do mundo, e isso é essencial para realizarmos grandes projetos, como este.”

Esta nova fase que se inicia, para eles, é a evolução da cerveja, explica Tiago:

“Lá atrás, no fim da década de 90 e começo dos anos 2000, tivemos a revolução do processo cervejeiro, com novas técnicas de refermentação. Inovamos utilizando ingredientes nacionais nas receitas, criando novos sabores e nos especializando. Agora, apostamos em uma evolução e queremos fazer isso junto com os nossos consumidores, em uma plataforma aberta e inovadora, que é o Ateliê Wäls. Não é novidade que buscamos fazer arte com a cerveja e de forma colaborativa.”

O Ateliê mantém seu foco na produção artesanal e de qualidade, usando a seu favor novas técnicas, como o cruzamento dos processos de vinho e cerveja, ingredientes especiais e tecnologia de ponta.

José Felipe, também mestre-cervejeiro da marca, ressalta:

“Estamos abrindo uma porta que dificilmente será fechada depois. Há oito anos temos usado a técnica de envelhecimento e aprimorado nossas receitas em barricas. Agora, vamos para este novo passo com a ampliação dos rótulos e técnicas, em um formato inusitado.”

Para proporcionar uma experiência completa ao público, o espaço funciona de terça a domingo e terá 21 torneiras de chope, algumas delas com opções de cervejas exclusivas, produzidas no próprio Ateliê, e servidas on tap. Tudo isso harmonizado com um cardápio descomplicado e saboroso.

Cervejas com personalidade

Entre as centenas de barricas que compõem o espaço, são cerca de 12 tipos de madeira, que vão desde carvalho francês e americano, até alguns feitos com a madeira brasileira umburana.

Além de barricas usadas, que já armazenaram whisky, vinhos (tinto e branco), bourbon, cachaça e conhaque, a Wäls aposta ainda em um novo método utilizando barricas novas, uma prática nada comum no universo da cerveja. Outra novidade são as duas barricas especiais que serão usadas na produção de uma linha exclusiva de sour beer.

José Felipe observa:

“Além de novos sabores, o envelhecimento em madeira proporciona elegância e potência à cerveja. Algumas, inclusive, deixam o líquido com textura mais aveludada.”

A ideia é propor um cruzamento de sabores inovador e complexo, inclusive no processo champenoise e com cervejas feitas especialmente para guarda. Essas últimas, ganham destaque em uma adega com mais de 20 mil garrafas, localizada sobre a loja do Ateliê. As demais receitas produzidas pela Wäls, como as mundialmente premiadas Dubbel e Petroleum, continuarão sendo produzidas na cervejaria, no bairro São Francisco, também na capital mineira.

Design e arquitetura

Para materializar a nova obra de arte imaginada pela Wäls, somaram esforços ao projeto premiados profissionais mineiros, resultando em um espaço único, que eleva o status da cerveja e de BH neste mercado.

O espaço de 1.900 m², assinado pelo arquiteto Gustavo Penna (GPA&A), é dividido em ambientes modernos e harmonicamente conectados – acesso superior, tasting room, loja, adega, barrel room e escritório. Para evidenciar a vanguarda da marca e novo conceito que propõe, foram usados elementos do dia a dia da cervejaria como rolhas, garrafas, bolhas, barricas, metal, madeira e concreto. Um encontro do artesanal da cerveja com o lado artesanal da arquitetura, destacando elementos feitos à mão, com design exclusivamente elaborado para o espaço.

Oarquiteto, que assina grandes projetos como o Memorial da Imigração Japonesa, na Pampulha, o novo Estádio do Mineirão e o Centro de Convenções do Inhotim, exalta:

“Esse projeto só vem afirmar que cerveja e arte andam juntas, por isso criamos uma experiência completa, usando todos os sentidos. Entre os elementos deste universo cervejeiro explorados na construção do espaço, destaco o tonel desdobrado, que impacta o público logo na chegada, um balcão avermelhado na cor de uma cerveja IPA, cortinas e rosários de rolhas, luminárias de bolhas e milhares de garrafas dispostas em prateleiras exclusivamente projetadas. Tudo tão à mão, tão simples. É na simplicidade e na busca por aquilo que há de mais genuíno que criamos este espaço, de Minas Gerais para o mundo. A cerveja é incrível, o ambiente também. Aqui é a casa da cerveja.”

Para ressaltar toda essa inovação, um toque extra veio da agência mineira Greco Design, premiada em Cannes. Além do projeto arquitetônico, termos recorrentes no discurso da marca como “obras de arte”, “ousadia”, “inventividade”, “mineiridade” e “alegria” nortearam a proposta de identidade visual do Ateliê.

O diretor Gustavo Greco comenta:

“Optamos por criar um projeto endossado pela identidade principal da cervejaria, que lhe transfere prestígio e credibilidade. Esse endosso foi feito pela utilização da letra “ä” (de Ateliê) que, retirado da própria marca da Wäls, foi emoldurado por um triângulo que remete ao nosso Estado e orgulhosamente berço da empresa.”

Para completar, toda a sinalização do ambiente também foi projetada pela agência.

O Ateliê em números

  • 1900m² de área construída, dispostos em 3 pavimentos principais
  • 100 mil Litros de cerveja envelhecidos em barricas
  • Adega com 20 mil garrafas de cerveja champenoise
  • Centenas de barricas de madeira – divididas em 12 variedades

Serviço

  • O quê: Ateliê Wäls
  • Quando: 3ª a 6ª das 17h às 24h, sábado e domingo das 11h às 24h
  • Onde: Rua Gabriela de Melo, 566 – Olhos D’Água, Belo Horizonte/MG