Competições

Brasil, EUA e Chile, os grandes ganhadores da Copa Cervezas de América 2016

Na 5ª edição da competição, Brasil é o país com mais com medalhas (79), das quais 17 de ouro

Homenagem da organização da Copa Cervezas de América aos integrantes do júri internacional que avaliou mais de mil cervejas (Foto: Divulgação)

Homenagem da organização da Copa Cervezas de América aos integrantes do júri internacional que avaliou mais de mil cervejas (Foto: Divulgação)

Durante uma semana, 1.043 cervejas artesanais das Américas, e algumas da Europa, foram avaliadas por juízes nacionais e internacionais, na quinta edição da Copa Cervejas da América, anualmente realizada em Santiago do Chile. O Brasil foi o país que ganhou o primeiro lugar com 17 medalhas de ouro, 23 de prata e 39 de bronze, sendo a Bien Hoff Pilsner eleita a Melhor Cerveja Brasileira. Enquanto isso, a Noi foi reconhecida como Melhor Cervejaria Brasileira, com dois ouros, uma prata e dois bronzes. Para conferir a premiação completa, clique aqui.

Os Estados Unidos, por sua vez, conquistaram 27 medalhas, das quais três de ouro graças às cervejas Double Bock, Irish Red e Stony Brook Red. O país também ganhou uma prata pela cerveja Whitewater IPA e um bronze pela Utopias 2015. Além disso, a cervejaria "Boston Beer Company" distinguiu-se como a "Melhor Cervejaria Estadunidense".

Das 120 inscritas do Chile, donos da casa, 12 ganharam medalhas, colocando o país em terceiro lugar na lista geral de ganhadores. As medalhas de outro foram para as cervejarias Kross, Metropolitana S.A, Principal, Cerveza del Puerto, Granizo, Szot e Zigurat, enquanto que as cervejarias Jester y Metropolitana S.A, ganharam medalhas de prata. Por último, as medalhas de bronze foram para as cervejarias Bulnes, Kross e Kuntsmann.

O presidente da Copa Cervejas da América, Daniel Trivelli, destacou:

"Essa foi uma das melhores edições do torneio. Tivemos representantes de todo o continente e vimos que a qualidade e o nível das cervejas se elevou em todos os países. Estamos muito felizes porque vimos que essa bebida foi se consolidando e se instalando na mesa das pessoas."