Acasc elege nova diretoria

Depois de dois anos, Carlo Lapolli deixa comando da entidade para concorrer ao da Abracerva

Entre as conquistas desta gestão, Lapolli destaca a participação na articulação para a inclusão da categoria no Simples Nacional e a criação da Catharina Sour (Foto: Divulgação)

Entre as conquistas desta gestão, Lapolli destaca a participação na articulação para a inclusão da categoria no Simples Nacional e a criação da Catharina Sour (Foto: Divulgação)

Depois de dois anos de liderança do movimento das cervejarias artesanais catarinenses, Carlo Lapolli deixa o posto na Associação das Cervejarias Artesanais de Santa Catarina (Acasc) para se candidatar à presidência da Associação Brasileira das Cervejarias Artesanais (Abracerva). A eleição na Acasc ocorre em 19 de julho, quarta-feira, a partir das 19h, na Escola Superior de Cerveja em Malte (Rua Elsbeth Federsen, 72), em Blumenau/SC). A nova diretoria estará à frente da entidade pelos próximos dois anos. O pleito para a entidade nacional ocorre no dia 28 de julho, em São Paulo (SP).

Entre as conquistas desta gestão, Lapolli destaca a participação na articulação para a inclusão da categoria no Simples Nacional e a criação da Catharina Sour.

"Fizemos um trabalho colaborativo, com participação de todos e buscamos integrar o estado em uma região ainda mais forte no cenário cervejeiro nacional", comenta.

A Acasc também teve papel ativo na estruturação do Vale da Cerveja, que estimula o turismo ligado à bebida no Vale Europeu. Apoiou ainda o movimento Eu Bebo Cerveja Local, criado por um grupo de cervejeiros de Florianópolis para estimular o consumo e o conhecimento sobre as marcas regionais.

Fundada há dois anos para representar as cervejarias artesanais catarinenses, a Acasc é uma entidade privada sem fins lucrativos que reúne produtores de cerveja e fornecedores do negócio. São cerca de 30 associadas de diferentes cidades do estado.

Outra luta da associação é a redução da carga tributária, em especial o ICMS. No entendimento da entidade, ele deve ser equiparado ao vinho artesanal que atualmente já possui um tratamento diferenciado em Santa Catarina.