Cerveja, Cervejaria, Cervejarias, Destaque

Os planos do brasileiro que montou cervejaria no Chile

Com 8 anos, a Tübinger se destacou como a melhor cervejaria chilena na Copa Cervezas de América

Ainda sem data definida, a previsão é de que os rótulos cheguem ao Brasil em 2016 (Foto: Sarah Buogo / Revista Beer Art)

Ainda sem data definida, a previsão é de que os rótulos cheguem ao Brasil em 2016 (Foto: Sarah Buogo / Revista Beer Art)

sARAH BUOGO

Ao pé da Cordilheira dos Andes, em Pirque, distante 30 km da capital chilena Santiago, está instalada a Tübinger. Coleciona cerca de 15 prêmios, como o de melhor cervejaria chilena, destacado na edição mais recente da Copa Cervezas de América. Há oito anos na estrada, planeja expansão para novos mercados, entre eles um particularmente especial para o seu proprietário: o Brasil.

Christoph Flaskamp fundador e mestre-cervejeiro da Tübinger (Foto: Sarah Buogo / Revista Beer Art)

Christoph Flaskamp fundador e mestre-cervejeiro da Tübinger (Foto: Sarah Buogo / Revista Beer Art)

Brasileiro de nascimento e alemão de criação, o fundador Christoph Flaskamp foi parar no Chile para ficar perto da família. Fazia cerveja em casa desde 1990, por não ter encontrado à época alguma artesanal no novo país. Em 2005, começou a planejar uma distribução comercial.

Com quatro rótulos permanentes no portfólio (Red Ale, Hoppiness IPA, Pale Ale e Tübinator), a Tübinger começou sua trajetória em 2007. Viu a possibilidade de fazer algo novo em um país tradicionalmente conhecido pela produção de vinhos. Para isso associou-se a Martin Flannery, dono do maior pub irlandês do Chile (Flannery's Pub) e, juntos, lançaram a cervejaria, hoje uma das quatro maiores do país. O nome é uma homenagem ao povoado alemão (ao lado de Stuttgart) onde estudaram Christoph (na década de 80) e seu pai (nos anos 50).

Entrar no mercado não foi tarefa fácil. Muitas adaptações precisaram ser feitas para agradar ao paladar chileno.

"O povo do Chile tem um paladar mais doce, precisei adaptar algumas receitas" , destaca Christoph.

Hoje os rótulos com maior aceitação são o Pale Ale e o Red Ale.

Hoppiness IPA, ouro na Copa Cervezas de América (Sarah Buogo / Revista Beer Art)

Hoppiness IPA, ouro na Copa Cervezas de América (Sarah Buogo / Revista Beer Art)

Entre as produções mais recentes, destaca-se a Amistad de las Américas, uma Hoppy Red Session Ale colaborativa com a Ballast Point Brewing & Spirits (EUA) , a Coronado Brewing Company (EUA) e a Cervecería de Colima (México). Tem 4,2% de teor alcoólico e 50 IBU.

Consolidada e figurando entre as melhores cervejarias do Chile, a Tübinger mira em mercados externos como o Brasil.

"O mercado brasileiro é muito maior que o nosso, tem mais possibilidades e potencialidades. Além disso, como sou brasileiro, gostaria de ter a minha cerveja lá", ressalta Christoph.

Ainda sem data definida, a previsão é de que os rótulos da Tübinger cheguem ao Brasil em 2016.

Hoje a cervejaria tem uma produção mensal de 25 mil litros/mês mas com a capacidade de chegar até 45mil. A água utilizada vem da cordilheira que circunda a cervejaria e garante uma vista única do local.