Cerveja

A Copa Cervezas de América na visão dos juízes brasileiros

Os quatro avaliadores brasileiros elogiam a nova organização do concurso no Chile

A expectativa é de que, com o sistema de de avaliação online, os trabalhos se encerrem antes do horário previsto (Foto: Divulgação)

A expectativa é de que, com o sistema de de avaliação online, os trabalhos se encerrem antes do horário previsto (Foto: Divulgação)

Ao final do segundo dia de julgamento da Copa Cervezas de América, nesta segunda, 24, mais da metade dos 646 rótulos já estão avaliados pelos juízes participantes. O trabalho segue na terça, 25, com a avaliação de estilos como Stout e Belgian Golden Strong. A expectativa é de que, com o sistema de avaliações online, os trabalhos se encerrem antes do horário previsto, por volta de 16h30min. Dos 24 juízes que participam da competição em 2015, 4 são brasileiros. No intervalo das sessões de avaliação, em Santiago do Chile, a repórter Sarah Buogo, da Beer Art, conversou com Andrea Bonavigo du Pin Calmon, Fernanda Meybom, José Raimundo Padilha e Paulo Bettiol, que revelaram suas impressões sobre esta edição Concurso. Confira:


Andrea Bonavigo du Pin Calmon

Sommelier e diretora comercial da Balkonn Cervejas Especiais

Andrea-Bonavigo-du-Pin-Calmon

Quando estávamos julgando Lagers, só tivemos duas com a presença de diacetil. O que é uma coisa meio inédita porque esse é o defeito mais presente nas Lagers, normalmente por falta de descanso da cerveja. A qualidade posso dizer que está dentro do esperado, mas sem surpresas. O sistema de avaliação online confesso que me surpreendeu, inicialmente achei que não ia gostar mas pelo contrário e acredito que fiquei menos cansada do que se fossem as fichas de papel.


Fernanda Meybom

Sommelier de cervejas do Science of Beer Institute, trabalha com a equipe técnica do Concurso Brasileiro da Cerveja

Fernanda-Meybom

Foram apresentadas cervejas muito boas. É interessante essa dinâmica das cervejas serem servidas na mesa, que é uma diferença em relação a outros como o Concurso Brasileiro de Cervejas em os copos já vêm servidos da sala de apoio. Além disso, aqui o concurso é BJCP e no caso do Concurso Brasileiro é BA (Brewers Association). Então são questões importantes de observarmos e até quem sabe aplicarmos alguma coisa no Concurso Brasileiro de Cervejas. As cervejas tecnicamente estão muito boas e acredito que será um pouco difícil de decidir, mas a gente segue os critérios técnicos do Guia e, nesse caso, é a nota que acaba decidindo qual a melhor cerveja.


José Raimundo Padilha

Sommelier, sócio e diretor de conteúdo do The Beer Planet

José-Raimundo-Padilha

É a primeira vez que participo da Copa e estou bem impressionado. Até agora posso dizer que não houve muitas surpresas porque muitas cervejarias mandam para o Festival para ter avaliação, portanto não são só cervejas boas ou tops, muitas cervejas fora do estilo, com alguns problemas. Mas isso é normal porque o objetivo aqui não é premiar a melhor cerveja e sim dar um feedback para todas elas. É muito importante trabalharmos nesse sentido de municiarmos ao máximo os produtores com caminhos para que possam consertar defeitos e fazer cervejas cada vez melhores e, com isso, o mercado cresce como um todo.


Paulo Bettiol

Sommelier e gerente comercial da cervejaria Dama Bier

Paulo-Bettiol

A Copa tem uma organização técnica bem interessante, e isso se confirma neste que é o meu terceiro ano julgando aqui. Julgamos vários estilos e acabamos passando por experiências sensoriais muito bacanas. Observo que o nível das cervejas vem realmente crescendo de ano a ano. O legal foi que hoje percebemos que dentro das amostras tinham algumas que realmente se sobressaíram das outras. Tivemos umas duas, três surpresas bem interessantes na parte da manhã. Além disso, o sistema agiliza e facilita o processo. A avaliação está muito mais rápida.