O que leva a Amazon Beer a produzir na Inglaterra

Cervejaria busca a redução de custos para expansão no mercado internacional

A distribuição no mercado internacional deve começar em seguida, durante o inverno europeu (Foto: Divulgação)

A distribuição no mercado internacional deve começar em seguida, durante o inverno europeu (Foto: Divulgação)

“Nosso produto é pelo menos 40% mais caro feito aqui do que lá fora”, assim Caio Guimarães, proprietário da Amazon Beer, de Belém (PA), explica um dos principais motivos que levaram a cervejaria a fechar uma parceria para começar a produzir seus rótulos na Inglaterra. Esta iniciativa foi tema de uma matéria do jornalista Renato Jakitas, publicada no dia 2 de dezembro, no Estadão PME, seção dedicada às Micro e Pequenas Empresas do jornal O Estado de São Paulo. Para saber mais detalhes sobre essa iniciativa a Beer Art conversou com Caio Guimarães.

A questões tributárias e logísticas foram primordiais para a decisão de produzir na Inglaterra. Para isso, a Amazon Beer fechou uma parceria com a fábrica inglesa Beer Counter e com a distribuidora World Beer, que desde março de 2014 trabalha seus rótulos em território Europeu.

“Como o mercado externo é mais competitivo e mais sensível a preço, decidimos produzir lá para garantir bom preço e melhor qualidade do produto final”, destaca Caio.

O cervejeiro explica que o custo dos insumos e impostos superam os 40%, o que reflete no preço final. Por exemplo, na Inglaterra uma garrafa de cerveja sai por £ 1,20 enquanto em terras brasileiras dificilmente sai por menos de R$ 10.

A questão das altas taxas tributárias foi destaque na coluna Diário de um Jornalista Sóbrio, na Beer Art Nº 9. De acordo com dados divulgados pelo o Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), publicados no espaço, a soma dos tributos pode chegar a 57%, variando conforme uma série de fatores, entre os quais o tipo de embalagem, a localização do fabricante e o tipo de produto.

Outro fator apontado por Caio, a logística, envolve o tempo de transporte já que a cerveja artesanal precisa ser consumida em menos tempo.

A expectativa é de que com a produção local as vendas – que atualmente giram em torno dos cinco mil litros – tripliquem no Reino Unido. A produção iniciou no início de março, a ideia é entrar no mercado ainda em dezembro, para o inverno europeu.

No Brasil a Amazon Beer deve faturar 30% mais neste ano que os R$ 12 milhões registrados em 2013. A produção na fábrica em Belém continuará no mesmo ritmo.