Bodebrown lança mais uma cerveja para guarda

A Wee Heavy Wood integra série de versões envelhecidas em madeira

A edição é comemorativa da primeira cerveja produzida pela curitibana Bodebrown (Foto: Divulgação)

A edição é comemorativa da primeira cerveja produzida pela curitibana Bodebrown (Foto: Divulgação)

A segunda cerveja da série Wood Aged da Bodebrown, que traz versões envelhecidas em madeira e com grande potencial de guarda da cervejaria curitibana, chega ao mercado em dezembro. Trata-se da Wee Heavy Wood Aged Series, uma edição comemorativa da primeira cerveja produzida pela fábrica curitibana. A pré-venda poderá ser realizada a partir desta segunda-feira (4/11) pelo site da fábrica (www.bodebrown.com.br).

A Wee Heavy completa cinco anos de lançamento. Nesta edição limitada, ela passou seis meses em dornas de madeira nacional Amburana, da cachaçaria gaúcha Weber Haus. Serão apenas 3 mil garrafas, safradas e numeradas, criando um item de colecionador ideal como presente de Natal.

Samuel Cavalcanti, que fundou a empresa ao lado do irmão, Paulo, , explica: “Unimos a alma de uma cerveja tradicional da Escócia, com malte daquele país do tipo Peat, ao envelhecimento em madeira brasileira, utilizando uma dorna (espécie de barrica com capacidade para 750 litros) de cachaça”. A Wee Heavy, além de ser a primeira cerveja da Bodebrown, foi pioneira do gênero no Brasil ao introduzir o estilo escocês. Esta cerveja já foi exportada para Canadá, França e Austrália, e ganhou diversos prêmios, incluindo duas medalhas de ouro no Mondial de La Bière no Canadá, em 2011 e 1012. (para conferir o ranking das cervejas premiadas brasileiras, clique aqui)

A Wee Heavy leva sete maltes em sua produção, com destaque ao peat-smoked, estilo turfado de malte. Ela ganha também uma levedura tradicional da Escócia, produzida na Califórnia. A cerveja de coloração rubi e fermentação lenta apresenta notas de cereja, frutas vermelhas, especiarias, tâmaras, ameixas e uvas passas. A levedura escocesa combinada com o aroma particular da madeira Amburana, utilizada anteriormente pela cachaça Weber Haus, cria um sabor único. “Esta produção envelhecida renova a experiência sensorial da cerveja com uma viagem por sabores dos dois países”, resume Cavalcanti.

Ao passar pelo processo de envelhecimento nas dornas de Amburana, de 750 ml, a nova versão da cerveja ganha grande potencial para ser guardada e degustada anos depois. “Terá facilmente uma validade de mais de 10 anos, sendo seu consumo ideal a partir de 2018”, informa Cavalcanti. “Por causa do envelhecimento, ela ganha novas propriedades, que modificam o sabor ao longo dos anos, enriquecendo o paladar”.

Este potencial de guarda, característica bem conhecida no mundo dos vinhos, é inovador e amplia a capacidade sensorial da cerveja. A edição especial, safrada e com garrafas numeradas, marca a exclusividade da Wee Heavy Wood Aged Series. Ela poderá ser comprada nas condições de Colecionador e Taça Thistle, tradicional taça escocesa. “Esse mercado de colecionadores de cerveja que vêm surgindo revela o potencial das artesanais”, afirma Cavalcanti.

Série envelhecida

A primeira cerveja da série envelhecida em madeira da Bodebrown foi a Double Perigosa Wood Age Series Cabernet Sauvignon 2014. Lançada em setembro, vendeu toda sua produção de 3 mil garrafas em poucas semanas. Em sua fase final de elaboração, passou por quatro meses de fermentação e nove em barricas de carvalho francês, utilizadas anteriormente por vinhos da Serra Gaúcha. As cervejas desta série foram criadas pensando num consumo “sem pressa”, como conclui Cavalcanti. “São bebidas que podem ser apreciadas daqui a cinco, dez anos, bastando serem armazenadas em adega, a 12 graus centígrados”, explica. “O ideal é comprar três: uma para se beber este ano, outra em 2019 e a terceira lá em 2024. São cervejas complexas e estruturadas, que vão ganhando sabor com o tempo”.