Cerveja envelhecida em barril de vinho pela Bodebrown

A Double Perigosa maturou por nove meses em barricas utilizadas para Cabernet Sauvignon

A Double Perigosa Wood Aged 2014 pode ser adquirida na pré-venda da cervejaria (Foto: Divulgação)

A Double Perigosa Wood Aged 2014 pode ser adquirida na pré-venda da cervejaria (Foto: Divulgação)

Premiada com a medalha de platina no Mondial de La Bière Montréal 2014, a Double Perigosa, da cervejaria curitibana Bodebrown, ganha uma versão envelhecida em barricas de carvalho francês, anteriormente utilizadas para envelhecer vinho da uva Cabernet Sauvignon. Em junho, enquanto a versão tradicional recebia o maior prêmio do Mondial, a Double Perigosa Wood Aged 2014 já estava envelhecendo nos barris. (Confira aqui a matéria que foi destaque na Beer Art. )

Agora, a cerveja maturada por 9 meses está disponível para pré-venda. Samuel Calvalcanti, da Bodebrown, explica as principais características encontradas na bebida envelhecida:

“Percebemos um grande melhora na avaliação sensorial da bebida. Ela importa notas remanescentes do vinho e da madeira. É uma união surpreendente entre a cerveja premiada, com a madeira e o vinho”.

A nova Double Perigosa é uma Wood Aged - Strong Ale com alto teor alcoólico (15,1%). De acordo com Samuel, é a cerveja mais alcoólica registrada no Brasil. A edição é limitada devido ao longo período de fermentação (a receita leva 4 meses para ficar pronta), além da maturação por 9 meses. A pré-venda da cerveja está disponível no link http://bodebrown.com.br/loja/wood-aged-series.html

Edições safradas

Cada edição será safrada e produzida uma vez por ano apenas. “Esta safra 2014 sugerimos que seja degustada a partir de 2019 pelo menos”, conta Samuel. “Ou então a pessoa pode comprar um kit com três, experimentar uma agora, outra daqui a cinco anos e a terceira em 2024”. Desse modo, aposta o cervejeiro, com o tempo as cervejas vão ganhar valorização, como ocorre com os vinhos que têm potencial de guarda. “Passa a surgir um mercado de colecionadores. Isto é muito bom pois revela o potencial das artesanais”, completa. “Nos inspiramos nas cervejas britânicas Thomas Hardy´s, que são motivo de culto e têm edições muito antigas disputadas em leilões, guardando seu sabor depois de décadas. Semana passada, tomei uma 1972 que estava incrível. Como o tempo teremos este prazer com uma cerveja brasileira!”.

Samuel adianta que outras cinco premiadas cervejas da Bodebrown vão parar nos barris para envelhecimento. “O projeto é ter uma série completa de cervejas para guarda”, conclui. Como a procura já começou assim que a notícia do envelhecimento começou a correr no mundo cervejeiro, a Bodebrown criou um sistema de pré-venda pela internet. “Assim o verdadeiro fã já pode garantir o direito de comprar a novidade, por meio do nosso site”.