Schornstein fecha 2016 com crescimento em pontos de vendas

No mesmo ano, cervejaria comemora uma década, inauguração da nova fábrica e prêmios

Número de pontos de venda da cervejaria de Pomerode/SC cresceu 55% em 2016 (Foto: Daniel Zimmermann/Divulgação)

Número de pontos de venda da cervejaria de Pomerode/SC cresceu 55% em 2016 (Foto: Daniel Zimmermann/Divulgação)

Para a Schornstein, 2016 foi um ano marcante. A cervejaria localizada em Pomerode (SC) comemorou 10 anos, ampliou em 55% o número de pontos de vendas, inaugurou a nova fábrica e a primeira loja, realizou um festival e conquistou prêmios. A marca chega a dezembro vendendo cervejas em 19 estados brasileiros – sete a mais do que em dezembro de 2015.

De acordo com Adilson Altrão, diretor da Schornstein, estes números refletem os investimentos que a marca realizou.

"Foram R$ 4 milhões injetados em equipamentos para a nossa nova fábrica, que tem capacidade produtiva de 300 mil litros ao mês", destaca.

Hoje, seis estilos são produzidos pela marca: Pilsen, Weiss, Witbier, IPA, Bock e Stout. Um rótulo de guarda também foi lançado em homenagem a primeira década da cervejaria: uma Dark Strong.

Este também foi um ano marcado por premiações. Na Copa América de Cervezas, a Witbier ficou com a medalha de ouro e a Pilsen com o bronze. Já o conjunto de estratégias colocado em prática para celebrar os 10 anos da marca recebeu o Top de Marketing da ADVB/SC.

Adilson Altrão, diretor executivo da Schornstein (Foto: Daniel Zimmermann/Divulgação)

Adilson Altrão, diretor executivo da Schornstein (Foto: Daniel Zimmermann/Divulgação)

Mais inovação

Em 2016, a cervejaria também inaugurou a primeira loja, junto à fábrica. O espaço, chamado de Armazém Schornstein, apresenta aos turistas que visitam Pomerode (SC) não só os rótulos, mas também outros souvenires e itens gastronômicos com a marca. O sucesso do negócio surpreendeu até mesmo os executivos.

"Já no primeiro mês, a movimentação foi três vezes maior do que o esperado. A loja só comprovou a força da marca", comemora Altrão.

Ele reforça que, para 2017, o plano de franquias deve ser acelerado.

Para comemorar os 10 anos, a Schornstein realizou o primeiro festival, que reuniu cerca de cinco mil pessoas na rua em frente à fábrica. O pão produzido a partir do mosto das cervejas, chamado de Schornstein Brot, também teve a produção aumentada e a distribuição cresceu.

Resgate cultural

O prédio onde a atual sede da Schornstein funciona foi construído na década de 1960 e abrigou até o fim dos anos 90 o Mercado Weege. O espaço foi fundamental para o desenvolvimento da cidade mais alemã do Brasil, onde a cervejaria mantém a sua fábrica. Para valorizar esta história, ainda em comemoração aos 10 anos, a marca lançou uma série documental sobre o espaço.

O Fábrica de Emoções teve objetivo de não deixar que a história se perdesse.

"Estamos devolvendo a atividade econômica para um espaço importante na vida das pessoas da comunidade onde estamos inseridos. Esse é um aspecto muito importante e que nos orgulhamos de ter valorizado desde o princípio", destaca Altrão.

Expansão planejada

De acordo com o executivo da Schornstein, 2017 deve ser de ainda mais crescimento e estruturação.

"Percebemos que o mercado ainda traz grandes oportunidades. Construímos nestes 10 anos uma credibilidade ímpar no mercado cervejeiro nacional e vamos reforçar isso com lançamentos, inovações e a qualidade que todos esperam de nós", finaliza Altrão.

A Schornstein surgiu em 2006 na cidade mais alemã do Brasil. O nome da marca significa chaminé, uma das características do prédio onde foi fundada. A matriz da cervejaria fica em Pomerode (SC). Atualmente, a indústria tem capacidade produtiva de 300 mil litros ao mês graças à nova fábrica, inaugurada em junho de 2016. Ali são produzidos os os rótulos India Pale Ale, Bock, Weiss, Pilsen Natural, Pilsen Cristal, Stout e Witbier.