Cerveja

Lógica Absurda, a cerveja da Tupiniquim inspirada em Alice

Berliner Weisse com ameixa vermelha e framboesa é colaborativa com Amanda Reitenbach

A convite da cervejaria Tupiniquim, Amanda desenvolveu a receita de uma Bereliner Weisse irreverente (Foto: Divulgação)

A convite da cervejaria Tupiniquim, Amanda desenvolveu a receita de uma Bereliner Weisse irreverente (Foto: Divulgação)

Convidada pela cervejaria Tupiniquim, de Porto Alegre (RS), para desenvolver uma cerveja colaborativa, a mestre-cervejeira e doutoranda em Engenharia Química Amanda Reitenbach escolheu o estilo Berliner Weisse. Mas, para este projeto, a ideia era fazer uma releitura do estilo com uma receita bem irreverente. Assim nasceu a Lógica Absurda, cerveja em edição limitada lançada no início de julho em Florianópolis e São Paulo e que nesta sexta-feira, 29, é a vez de ser apresentada a Porto Alegre, em evento na MaltStore Cervejas Especiais (Rua Padre Chagas, 339, Moinhos de Vento).

Berliner Weisse é o estilo que Amanda se interessou muito em conhecer e entender melhor enquanto morava em Berlim, na Alemanha. Como sugere o nome, o estilo nasceu nesta cidade, onde até hoje é tradicionalmente consumida misturada com um tipo de xarope.

A cerveja criada tem duas frutas naturais como ingredientes: ameixa vermelha e framboesa, que conferem à cerveja notas intensas de frutas vermelhas no aroma e sabor, característica cítrica e acidez. O dry hopping foi feito com a adição de dois lúpulo alemães - Hallertau Blanc e Hull Melon - Seu teor alcoólico é 3,5%.

Irreverentes também são o nome e o rótulo desta cerveja. Lógica absurda é como Lewis Carrol definiu as histórias de Alice no País das Maravilhas, que foi fonte de inspiração para Amanda neste projeto, como ela explica:

“Apesar de ser uma história cheia de absurdos, também há muita lógica e matemática em seu contexto. Por ser uma de minhas histórias preferidas, eu queria trazer o seu conceito para este projeto. A Lógica Absurda traz a lógica de uma Berliner Weisse, mas é também experiência meio maluca, diferente do esperado com exóticos ingredientes e dry hopping. Bem diferente do que se tem hoje no mercado.”

Amanda também queria este conceito refletido no rótulo da cerveja, e por isso convidou o ilustrador e amigo Ciro Bicudo para participar do projeto. Ele conta como foi o processo criativo:

“Quando recebi o convite da Amanda Reintenbach para criar a arte da Lógica Absurda, a proposta era algo mais abstrato e livre. As referências do projeto eram do filme Alice no País das Maravilhas e o projeto de arte que o Salvador Dali tinha feito com o tema do filme. Para a arte desse rótulo eu teria algo com texturas e estética diferentes do que eu venho produzindo para o mercado atualmente. Em uma busca nos meus trabalhos experimentais e estudos eu tinha algumas coisas que se encaixavam com o projeto, seria uma ruptura de estética. O desafio de ter muita liberdade se tornou o melhor ingrediente para essa arte - poder voltar para onde tudo começou como artista, pintar com tintas e experimentar processos que até então estavam nos cadernos e zines. Todo o trabalho foi pintado em papel, com tintas aquarela, ecoline e nanquim. Gostei muito de poder apresentar algo como o artista gráfico que estava guardado no labo B das minhas criações. A arte sempre tem uma lógica absurda para nós artistas.”

André, sócio da Tupiniquim, conta:

"Tivemos a idea de convidar a Amanda, por acompanhar seus estudos e com isso sabíamos que poderíamos aprender algo nessa troca de informações sempre que se faz projetos juntos. A escolha da cerveja ma Berliner vimos de forma natural e até esperávamos devido à influencia alemã."

Com edicão limitada, a Lógica Absurda tem lançamento em Florianópolis e São Paulo (Foto: Divulgação)

Com edicão limitada, a Lógica Absurda tem lançamento em Florianópolis e São Paulo (Foto: Divulgação)