Menutrip, o “AIRBNB da Gastronomia"

Os "anfitriões", que podem ou não ser chefs profissionais, cadastram seu evento no site e aprovação da equipe do Menutrip (Foto: Reprodução)

Os "anfitriões", que podem ou não ser chefs profissionais, cadastram seu evento no site e aprovação da equipe do Menutrip (Foto: Reprodução)

Site conecta chefs anfitriões a convidados que queiram experiências gastronômicas diferenciadas

Criada por um trio de empreendedores, a startup Menutrip é uma plataforma de eventos gastronômicos compartilhados. O site funciona assim: os "anfitriões", que podem ou não ser chefs profissionais, cadastram seu evento no site, definindo o local, o preço, menu, datas e horários, e aguardam a aprovação da equipe do Menutrip para o evento ir ao ar. Os convidados interessados buscam os eventos na cidade desejada, informam o número de pessoas, reservam e, após serem aprovados pelo anfitrião, recebem os dados de contato e o endereço exato do evento. Após ocorrido o evento, o Menutrip repassa aos anfitriões o valor pago pelos convidados, sendo que cobra dos convidados uma taxa de manutenção no momento da compra.

 
 

Desde o início de sua outra startup (o site de educação eduK, hoje com pouco mais de 3 anos, e receita de R$ 40 milhões em 2015), Renato Pereira já havia se surpreendido com a paixão que os alunos da empresa demonstravam pelos cursos de gastronomia. Em 2015, em viagem para a França onde se hospedou todos os dias pelo site Airbnb, viu uma nova tendência de economia compartilhada, justamente na área de gastronomia, e que estava ganhando força por lá:

“Vi que depois da revolução que o Airbnb estava causando no mercado de hospedagens, a gastronomia parecia ser a próxima onda. Ao retornar ao Brasil, verifiquei que, diferente de EUA, Ásia e Europa, ainda não havia ninguém fazendo isto de forma relevante por aqui.”

O passo seguinte foi convencer seu irmão e cofundador Marcelo Pereira a desenvolver o site e o amigo Fábio Pinto, sócio de outros negócios e hoje CEO e também cofundador do Menutrip, a se juntar para construírem pouco a pouco as bases para testar e, finalmente, lançar o negócio. Fábio comenta:

“Como todo marketplace, o desafio de crescer ao mesmo tempo o lado da oferta (eventos) e da demanda (convidados) é grande e nada trivial. Mas após trazermos os primeiros eventos para o site e ver a grande receptividade entre os usuários, percebemos que estávamos no caminho certo para reativar a rede social mais antiga do mundo: a mesa de jantar na casa das pessoas...”.