Invicta Nocaute Festival inaugura ciclo de expansão da cervejaria

Imagem do início do festival, em 20 de agosto, nas novas instalações da Invicta em Ribeirão Preto (Foto: Altair Nobre/Beer Art)

Imagem do início do festival, em 20 de agosto, nas novas instalações da Invicta em Ribeirão Preto (Foto: Altair Nobre/Beer Art)

Grupo de Ribeirão Preto ambiciona dobrar linha de cervejas, e chegar a 50 rótulos

Altair Nobre
Ribeirão Preto

Como um ritual de passagem, o Invicta Nocaute Festival marca a consolidação da Invicta como uma das principais cervejarias independentes à frente da chamada revolução das artesanais no Brasil. O evento, ao inaugurar a nova fábrica em Ribeirão Preto (SP), celebra a expansão da empresa, que em cinco anos de atividade se tornou um grupo, com participação em outras quatro marcas (2cabeças, Japas, Treze e Velhas Virgens). No conjunto, oferece 24 rótulos. Com as novas instalações, a meta é mais do que dobrar esse número.

"A ideia é chegar a 50 rótulos", disse o mestre-cervejeiro e fundador Rodrigo Silveira, em entrevista durante o festival, na tarde deste sábado, 20 de agosto.

Com a nova cozinha, a capacidade da cervejaria salta de 45 mil litros/mês para 70 mil litros/mês. O potencial de expansão é muito além desse volume: 500 mil litros/mês. As novas instalações, na Avenida do Café, 1.881, seguem o modelo consagrado em cervejarias independentes americanas. Não é um mero local de produção. É um espaço de convivência. Tem logo na entrada loja conceito para homebrewers, dotado de sala para aulas e torneiras para venda de chope e abastecimento de growlers.

O festival deste 20 de agosto de 2016 - com ingressos para 1,5 mil pessoas esgotados com antecedência, mais de 30 cervejarias convidadas, shows, food trucks e até luta de boxe (o ringue funcionou também como palco, em sintonia com o símbolo da Invicta) - foi concebido para se tornar um evento anual para o polo cervejeiro do interior paulista. É uma mostra de um início promissor para a nova fase, em que os desafios não são pequenos. Rodrigo Silveira vai enfrentá-los também em outro ringue, o político, como presidente da Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracerva). A entidade luta para reduzir a pesada participação do governo como "sócio" das cervejarias (a carga tributária passa de 50%) e dar vazão ao crescimento de marcas como a Invicta.

Mais imagens do festival e da nova sede da Invicta