Beer Art

Como foi montado o ranking

Os concursos e os pesos

O levantamento cruza todas as edições de 12 competições, desde o ano 2000 (os primeiros triunfos surgiram em 2007). Os concursos estão divididos entre quatro pesos: 1, 1,5, 2 e 3.

World Beer Cup − Peso 3

  • A Copa do Mundo da Cerveja, realizada a cada dois anos, é o concurso mais antigo. Em paradoxo, é o que menos premiou cervejas brasileiras. Em toda a sua história, desde 1996, são apenas 6 medalhas − três delas nos anos 90, antes do boom das artesanais, foco deste livro: Antarctica (prata em 96 e 98) e Kronenbier (prata em 98). O primeiro ouro só viria em 2014, com a Wäls Dubbel. Pelo grau de dificuldade, é um concurso de peso 3.

World Beer Awards (medalhas internacionais), European Beer Star, International Beer Challenge e Mondial de La Bière no Exterior (Montreal/Mulhouse/Strasbourg) − Peso 2

  • No conjunto, essas disputas internacionais concederam 159 medalhas para cervejas brasileiras (15,4% das 1.035).

Continentais (Copa Cervezas de América e South Beer Cup), Australian International Beer Awards, Mondial de La Bière Rio e World Beer Awards (medalhas continentais) − Peso 1,5

  • As quatro concederam 460 medalhas (44,4%)

Concurso Brasileiro de Cervejas (Festival Brasileiro da Cerveja) − Peso 1

  • Das 1.035 medalhas conquistadas por cervejas brasileiras, 413 (quase 40%) vêm apenas do evento em Blumenau.

Exceções: casos especiais, de rótulos distinguidos com platina ou destaque como Cerveja do Ano, tiveram uma subida de peso extra.

O levantamento está atualizado até os resultados da Copa Cervezas de América 2015, revelados em 26 de agosto. O concurso seguinte, a ser publicado na próxima edição deste guia, é o World Beer Awards, com uma novidade: uma etapa nacional de premiação (peso 1).

Ao final do livro, dois índices oferecem formas de consulta que facilitam comparações entre as cervejas e entre as cervejarias.

O primeiro é por estilo. Leva em conta o enquadramento feito pelos avaliadores, atualizado pelos guias mais recentes (2015) da Brewers Association (BA) e do Beer Judge Certification Program (BJCP), as duas referências que dividem as competições. O roteiro tem uma utilidade adicional para produtores, especialmente os homebrewers. Apresenta os critérios considerados pela BA, e contrapõe os do BJCP.

A outra relação oferece uma consulta por cervejaria. Facilita ver quantas e quais cervejas premiadas cada uma tem. No caso de ciganas, que utilizaram a fábrica de outras, a lista considera as autoras da receita, e não as produtoras.