Rasen Platz, em Gramado, terá fonte de cerveja

Cervejaria abre espaço na Rua Coberta na cidade turística da serra gaúcha

Para os cervejeiros mais ansiosos, um aviso: é uma fonte ornamental, e não para abastecimento (Foto: Tiago Lobo/Beer Art)

Para os cervejeiros mais ansiosos, um aviso: é uma fonte ornamental, e não para abastecimento (Foto: Tiago Lobo/Beer Art)

Tiago Lobo

A noite da terça-feira, 12 de dezembro, causou alvoroço no povo que passeava pela Rua Coberta de Gramado (RS), no coração da turística cidade da serra gaúcha. Às 19h parte dos 730 convidados para a inauguração do lugar, um templo aos adoradores de cervejas alemãs, já circulava pelo salão do estabelecimento. O Rasen Platz chama atenção: logo na entrada há uma fonte, ainda em fase de testes, com sistema de bombeamento, que será abastecida com cerveja.

"Já temos a fonte de chocolate, dos Chocolates Lugano (empresa do mesmo grupo da cervejaria) e resolvemos deixar a nossa marca na cidade com esta de cerveja" , explica Augusto Schwingel Luz, um dos donos do empreendimento.

Para os mais ansiosos, o empresário esclarece que se trata de uma fonte ornamental. Apesar de abastecida com cerveja de verdade, é imprópria para o consumo. Por trás de uma porta com sete metros de altura, revela-se um ambiente em que pilares de 12 metros conduzem o olhar até o teto, decorado com candelabros ao melhor estilo gótico. Como moldura para mesas de madeira que acomodam até 15 pessoas, as paredes ostentam brasões e flâmulas de regiões alemãs. As cinco torneiras, ao fundo, em linha diagonal com a porta de entrada, abastecem essa taverna do século 21, iluminada com suavidade por candelabros e lanternas de parede. À esquerda fica um espaço reservado para venda de souvenires da cervejaria, como camisetas, chaveiros e kits de cervejas.

As torneiras são dedicadas às principais cervejas da Rasen (Foto: Tiago Lobo/Beer Art)

As torneiras são dedicadas às principais cervejas da Rasen (Foto: Tiago Lobo/Beer Art)

 

O cardápio da casa, assinado pelo chef Eduardo Natalício, o mesmo da rede de Botecos que levam o seu sobrenome, conta com pratos típicos germânicos, petiscos e sobremesas. Na noite da inauguração, Natalício contou que dedicou 10 dias a percorrer 2 mil quilômetros de carro pela Alemanha, para realizar uma imersão na gastronomia germânica e entender mais do preparo tradicional de cada prato. As linguiças, por exemplo, vêm de fornecedores locais que as produzem seguindo o método alemão, e os Pretzels são importados. Apenas os petiscos da casa que receberam um toque abrasileirado.

No cardápio o cliente encontra os nomes e as descrições de cada prato em português, e a sua versão para o alemão, traduzidos pelo sogro de Natalício, alemão. Ao pedido do repórter de uma sugestão de que prato e petiscos experimentar, o chef sugeriu a coxinha de pato ou o croquete de porco como entrada e um Porco Assado à Pururuca como prato principal. Apesar de Natalício ter desenvolvido os pratos da casa, a cozinha ficará nas mãos da chef Cíntia Schumacker.

"Igual a ela se encontram poucas no Brasil", elogia Natalício.

Cíntia Schumacker vai receber o bastão de Natalício, o chef que desenvolveu o cardápio da casa (Foto: Tiago Lobo/Beer Art)

Cíntia Schumacker vai receber o bastão de Natalício, o chef que desenvolveu o cardápio da casa (Foto: Tiago Lobo/Beer Art)

 

Os funcionários vestem trajes típicos alemães referentes a uma região específica. De tempos em tempos eles serão trocados para homenagear outros locais. Na abertura era Bremen. A inauguração contou com a banda Alt Haus Musikanten, ou "Os músicos da casa velha", em uma tradução livre. O conjunto de Nova Petrópolis é formado por bateria, contrabaixo acústico, acordeon, dois trompetes, um saxofone alto e um tenor, um clarinete e um trombone. Eles apresentaram músicas germânicas típicas das décadas de 40, 50 e 60 e hinos tradicionais cervejeiros como Im Himmel gibt's kein Bier - No céu não há cerveja. Se, segundo a música, falta cerveja no andar de cima, o Rasen Platz ofereceu em sua primeira noite 1,5 mil litros de chope Pilsen saindo freneticamente das cinco torneiras da casa e dezenas de garçons que surgiam do nada antes que você pudesse sorver o último gole do copo.

A festa contou com presença do Guri de Uruguaiana, Sady Homrich, e da cantora Luka, que subiu no palco com seu violão e foi acompanhada durante quatro músicas pela banda da casa, de improviso. A trilha encerrou com uma performance dos músicos executando a clássica canção Vento Negro, de José Fogaça. Por tratar-se de uma festa fechada para convidados da cervejaria, as cinco torneiras jorravam apenas Chop Pilsen, mas elas serão abastecidas também com Ambar, Weiss, Dunkel e APA.

A eclética noite de inauguração contou com o Guri de Uruguaiana entre as atrações (Foto: Tiago Lobo/Beer Art)

A eclética noite de inauguração contou com o Guri de Uruguaiana entre as atrações (Foto: Tiago Lobo/Beer Art)

 

Rodrigo Thiele Luz, atual mestre-cervejeiro da Rasen, explica que em 2008, quando a cervejaria começou, a empresa contratou a mestre-cervejeira Kátia Jorge, profissional reconhecida e respeitada no meio, que desenvolveu as receitas de todos os estilos que a Rasen produz até hoje, exceto a APA e a Stout Chocolate, filhas de Rodrigo e Augusto Luz. Outra criação desta dupla foi um "erro que deu certo", confessa Rodrigo:

"Criamos uma cerveja em homenagem à Semana Farroupilha, uma Brown Ale sazonal, mas o malte que recebemos estava acima do ponto de torrefação ideal."

Eles gostaram do resultado e a cerveja segue na carta sazonal.
No primeiro dia, o atendimento da equipe foi surpreendente: eles tiveram cerca de 10 dias treinamento e foram escolhidos considerando sua fluência em alemão e noções básicas sobre cervejas.

Gustavo Wazlawick, 30 anos, de Nova Petrópolis, trabalha no caixa da cervejaria há duas semanas. Ele conta que participou de um grupo de dança típica, chamado Sonnenschein (significa "Brilho do sol"), durante 16 anos mas acabou se afastando.

"Nunca imaginei que eu voltaria a viver a Alemanha novamente", comemora o caixa, que precisou ensaiar uns passos para conseguir circular naquele salão lotado para atender os convidados.

A Cervejaria Rasen Bier, que significa "Cerveja de Gramado" em português, é a mais antiga fabricante de cervejas em atividade no município. Fundada em 2008, atualmente produz 80 mil litros/mês. A maior parte da sua carta de cervejas segue a Lei de Pureza Alemã (apenas água, malte, lúpulo e levedura) e a fabricação pode levar até 28 dias, de acordo com cada estilo.

Além do Rasen Platz, a cervejaria tem um programa de visitação a sua fábrica e degustações no seu bar, o Deutsche, com pacotes que variam de R$ 15 a R$ 25.

O espaço Rasen Platz ainda não está concluído. Nos fundos do terreno está em construção um parque turístico que contará a história da cerveja, terá um "biergarten" e ampliará a área útil do empreendimento. Tudo para dar a impressão que a Rasen cravou um pedaço da Alemanha no Brasil.