Insana relança a cerveja de pinhão

Cerveja é feita em parceria com projeto Araucária+ para produção sustentável

Barley Wine da cervejaria paranaense faz parte de projeto de produção sustentável (Foto: Divulgação)

Barley Wine da cervejaria paranaense faz parte de projeto de produção sustentável (Foto: Divulgação)

A cervejaria Insana, de Palmas (PR), prepara o lançamento do seu rótulo sazonal mais desejado do ano, a Insana Pinhão, que recebeu medalha de bronze no Concurso Brasileiro de Cervejas 2016, em Blumenau (SC). Uma Barley Wine, com 8,5% de teor alcoólico e que utiliza pinhão orgânico da Araucária+, iniciativa da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza com a Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (CERTI), de SC.

O lançamento oficial é no dia 30 de junho (quinta-feira), às 19h, na São Paulo Tap House. Três chopes da Insana estarão engatados para o evento, a Insana Pinhão, Insana Coffee IPA e a Insana American Pale Ale.

Para safra 2016, forão envasadas 45 mil garrafas, que têm como destino principalmente os mercados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Cerca de 800 quilos de pinhão provenientes do planalto serrano de Santa Catarina forão utilizados na cerveja.

Criada em homenagem ao estado do Paraná, a Insana Pinhão tem aromas doces, alcoólicos e amadeirados, com uma leve lembrança de pinhão cozido. No sabor, apresenta traços de caramelo, ameixas, amadeirado nobre e aquecimento alcoólico aveludado, mantendo no retrogosto o sabor do pinhão.

Pedro Reis, proprietário da cervejaria Insana, destaca:

“No ano passado, quando aderimos ao Araucária+, tivemos um aumento de 120% nas vendas da cerveja comparando com 2014. Esse grande aumento nas vendas confirma que o consumidor valoriza a redução do impacto no meio ambiente por isso esse ano continuaremos com a parceria.”

O objetivo dessa parceria é conservar a floresta agregando valor aos produtos extraídos dela, como é o caso do pinhão, que é a semente da araucaria. A iniciativa beneficia os produtores que seguem o padrão sustentável indicado, que inclui orientações de coleta das pinhas, entre outras ações.

Guilherme Karam, coordenador de estratégias de conservação da Fundação Grupo Boticário, explica que a iniciativa atua na cadeia produtiva do pinhão:

“Os produtores que se comprometem a seguir os padrões sustentáveis, como não realizar queimadas nem extrair as pinhas verdes, recebem cerca de 30% a mais pelo quilo do pinhão, além de contribuir para a redução do impacto gerado nas florestas nativas. É uma lógica em que todos saem ganhando.”

Outra medida importante citada por Karam é que os produtores devem deixar 20% das pinhas nos pinheiros para não prejudicar a disponibilidade de pinhão para aves e roedores. Essa atitude também permite a regeneração natural da floresta.


Serviço:

  • O que: Lançamento da Insana Pinhão
  • Onde: São Paulo Tap House (Rua Girassol, 340 - São Paulo-SP)
  • Quando: 30 de junho (quinta-feira), às 19h