Escola gratuita da Antarctica treina garçons

Academia da BOA, no Rio de Janeiro, forma 84 garçons em suas primeiras turmas

 Inscrições para a escola são feitas por site (Foto: Fernando Souza/Divulgação)

Inscrições para a escola são feitas por site (Foto: Fernando Souza/Divulgação)

A cervejaria Antarctica criou a Academia da BOA, que treina os profissionais dos bares, entre garçons e gardçonetes. As primeiras turmas, iniciadas em abril, acabam de se formar: são 84 alunos entre formação e reciclagem.

Agora formados, os alunos têm apoio da Academia da BOA no próximo passo da busca por emprego. Ao receber o certificado de conclusão do curso, eles também têm orientações do Senac RJ para obter sucesso em processos seletivos, como elaboração de currículos, postura e comportamento em entrevistas, além de dicas exclusivas e o passo a passo para cadastro e candidatura às vagas do Banco de Oportunidades do Senac RJ.

Inaugurada em abril, na Fundição Progresso, na Lapa, a Academia da BOA foi idealizada pela BOA para oferecer cursos gratuitos de capacitação e reciclagem de garçons. Em junho terminou o primeiro ciclo com quatro turmas e escola devolveu para o mercado nada menos que 84 profissionais certificados pelo Senac, parceiro escolhido para desenvolver o conhecimento e a metodologia do programa educacional da Academia, que oferece aulas cujos módulos têm a chancela do Ministério da Educação.

Novas turmas já foram iniciadas e têm conclusão prevista para daqui a dois meses, bem perto do Dia do Garçom, celebrado em 11 de agosto. Até o fim do ano, a Academia deve formar 500 pessoas para o mercado de trabalho, sendo: 300 novos garçons e 200 profissionais reciclados.

Bruna Buás, diretora de marketing da Antarctica, afirma:

“A Academia da BOA traz uma relação de ganha-ganha para todo o Rio de Janeiro. Ganham os garçons, tanto os que já atuavam na profissão quanto os que vão começar agora em um novo emprego; ganham os clientes, que serão melhor atendidos e ganham também os donos dos bares, que precisavam de um reforço em um ano difícil.”

As primeiras turmas da Academia da Boa foram formadas predominantemente por profissionais inscritos pelos bares das imediações da Lapa, como Mangue Seco, Bar Brasil, Belmonte e da própria Fundição Progresso, que abriga a escola. A turma de formação de garçom tem carga horária de 80 horas e as aulas acontecem 3 vezes na semana, quartas, quintas e sextas. Já o de técnicas para garçom de Bares, que quer reciclar garçons que já estão no mercado, tem carga horária de 48 horas e acontecem duas vezes na semana, às segundas e terças.

O currículo é uma mescla entre a formação tradicional e aulas especiais com a cara da BOA. Os inscritos aprendem técnicas para um atendimento mais simpático, conhecimentos sobre a marca e sobre os universos cervejeiro e do bar. E o treinamento prático acontece em um bar real, completamente equipado montado dentro da Academia da BOA.

Para homenagear a atividade dos garçons e inspirar novos profissionais, a Academia da BOA conta com 10 embaixadores. São emblemáticos garçons do Rio de Janeiro, que também assumiram a função de mestres e padrinhos dos alunos. Dentro da Academia, algumas destas personalidades foram homenageadas no salão, em um hall da fama, com seus rostos imortalizados em bandejas de prata.

Os interessados em informações sobre o podem acessar o site www.antarctica.com.br/academiadaboa.