Clandestina Craft Beer inicia produção de olho no mercado gaúcho de cervejas

Microcervejaria de Novo Hamburgo inaugurou sua fábrica neste mês

Diego Marcel de Souza, Rafael Lima  e Rafael Morello estudaram o modelo norte-americano (Foto: Divulgação)

Diego Marcel de Souza, Rafael Lima  e Rafael Morello estudaram o modelo norte-americano (Foto: Divulgação)

Um dos polos de cerveja artesanal no Brasil, o mercado gaúcho ganha mais uma nova opção. A Clandestina Craft Beer, microcervejaria com sede em Novo Hamburgo (RS), inaugurou neste mês de agosto de 2017 sua unidade produtiva. Com seis rótulos fixos de diferentes tipos de cerveja, os empresários Rafael Morello, Diego Marcel de Souza e Rafael Lima chegam ao mercado buscando ser uma referência em cerveja artesanal. Para conhecer mais artesanais gaúchas, entre no Portal das Cervejarias.

Depois de estudar o mercado norte-americano de cervejas, os empresários optaram por seguir o modelo de negócio que deu certo para as pequenas cervejarias de lá.

“O foco desses fabricantes é ser antes de mais nada uma referência regional. Só depois de consolidar regionalmente sua atuação é que as cervejarias artesanais passam a ampliar sua capacidade de distribuição para crescer no estado e depois nacionalmente.”

A empresa vem sendo estruturada nos últimos anos. O grupo vem produzindo cervejas desde 2008 e recentemente padronizou suas receitas. De formações distintas – Morello é engenheiro de computação, Souza engenheiro eletrônico, e Lima físico – os três empresários estruturaram uma unidade que pode chegar a 5 mil litros produzidos por mês e que deve receber algumas cervejarias parceiras, as chamadas “ciganas”.

Os rótulos

De sabor suave e cor clara, a Crema é uma cerveja Cream Ale, estilo pertencente à escola americana. Equilibrada entre o leve dulçor do malte e a refrescância de lúpulos nobres, tem um delicado aroma de frutas verdes.

“Desde de 2012 trabalhamos para padronizar as nossas receitas. A Crema tem um estilo que agrada à maioria das pessoas, sem perder em personalidade”, afirma Morello.

Para fechar sua lista de estilos em produção, a Clandestina viajou pelo mundo cervejeiro, buscando suas referências em diferentes culturas. Da tradição inglesa vem Extra Secret Britsh, uma Strong Bitter de coloração avermelhada e sabor marcante. Da Bélgica veio a inspiração para a Good Night, uma Saison que apresenta os sabores e aromas clássicos de uma autêntica Farmhouse Ale Belga. A escola clássica alemã está representada na Clandestinator, uma Doppelbock de coloração marrom escura.

Todas as referências recebem os toques autênticos da Clandestina, e em alguns dos rótulos as tradições são combinadas na busca por sabores únicos. A Hop Boom é um exemplo. No estilo India Pale Ale, ela combina o melhor das escolas americana e inglesa. Outro rótulo com sabor marcante diferenciado, a Spice Mango fecha a lista com seu estilo American Pale Ale que lhe confere intenso aroma e sabor de lúpulo que remete a frutas tropicais.

“Buscamos referências, mas sempre tivemos claro onde queríamos chegar”, lembra Lima.

A linha da Clandestina Craft Beer (Foto: Divulgação)

A linha da Clandestina Craft Beer (Foto: Divulgação)