Cervejaria Van Been conta histórias em seus rótulos

A marca de cerveja mistura ficção e realidade em homenagem a família holandesa

 A família é holandesa, mas a tradição da linha das cervejas é belga (Foto: Divulgação)

A família é holandesa, mas a tradição da linha das cervejas é belga (Foto: Divulgação)

Em sintonia com a expansão da cerveja artesanal no Brasil, surge a Cervejaria Van Been, com a proposta de "espalhar pelo país a cultura e os sabores dos elementos presentes na bebida, unindo qualidade, rótulos atrativos e preços acessíveis". (Para conhecer mais cervejarias, navegue pelo Portal neste link)

No ano de 2012, Dante Casarotti, após ser presenteado pela sua esposa com um curso de fabricação de cerveja caseira, se apaixonou pelo processo e iniciou a produção para seu próprio consumo. Com o sucesso da produção, o hobby tomou a forma empreendedora, com forte ligação da sua história: o nome Van Been é uma homenagem ao sobrenome da família de sua mãe, de origem holandesa.

A produção das cervejas é colaborativa, no meio cervejeiro conhecido como cervejaria “cigana”, que utiliza tanques de outras fábricas para a produção. Com enxuta produção, visando desenvolvimento de sabor com qualidade, o slogan da Van Been é de fácil percepção no gole da bebida, “A cerveja holandesa, de influência belga, nascida no Brasil”. A fábrica escolhida para a produção da cerveja é a Carranca, na cidade de Avaré, interior de SP.

Casarotti, proprietário da Van Been, comenta:

“Como sou apreciador há alguns anos, me tornei seletivo para saborear, dessa forma, para desenvolver as receitas, busquei atender ao paladar de consumidores exigentes como eu, desbravando o universo cervejeiro da melhor forma, com parcerias com fábricas competentes, insumos de primeira e design diferenciado para atrair o público.”

Com característica de empreendedor de sucesso, aprofundou seus estudos sobre a família Van Been (referência para o nome da empresa), e constatou que as aventuras e experiências de vidas de seus antepassados seria uma ótima forma de ilustrar seus produtos, com isso, os rótulos contam um pouco da história da família, com um misto de ficção e realidade.

Para o início, a projeção é produzir 5 mil litros de cervejas por bimestre, e em pouco tempo alcançar a margem de 6 mil litros/mês.

“A princípio atenderemos no estado de São Paulo, nas cidades de São Paulo, Jundiaí, Campinas, Guarulhos, na região do ABC Paulista e Osasco. Mas como o mercado está em expansão, crescendo a cada ano uma média de dois dígitos, acredito que seja possível em 2018 outros estados receberem a qualidade das cervejas Van Been, afinal é um produto para um público que gosta de compartilhar informações de qualidade, e isso nos ajudará”, finaliza Casarotti.

As cervejas

As fichas de apresentação dos dois primeiros rótulos da linha da Van Been:

Van Been Pieter De Zeeman - A cerveja conta a o relato do possível último embarque do marinheiro Modiokerto, que recebe um convite para trabalhar em uma refinaria de cerveja no Brasil, e traz consigo uma receita diferenciada, com amargo equilibrado, e um blend de aromas herbal, floral e levemente tropical. O marinheiro que em suas longas viagens para Calcutá, abastecia seu estoque com cervejas.

  • Estilo: Belgian IPA
  • Teor alcoólico: 7,3%
  • IBU: 65

Van Been Happy Blond - De forma lúdica, no rótulo da cerveja consta uma carta de Happy Blond, um holandês que esteve em Recife, explorando as maravilhosas do nordeste junto com seus parceiros Mauricio e Dirk, para inserir a primeira cervejaria no Brasil. Após um período retorna para sua terra, vivendo a liberdade holandesa, apreciando a cultura cervejeira belga e recordando das terras brasileiras. A ideia da bebida é proporciona apreciação lembrando-se do passado, vivendo o presente e sonhando com o futuro.

  • Estilo: Belgian Blond Ale
  • Teor alcoólico: 6,1%
  • IBU: 18