Festivais

As histórias que movem o Expresso Bier Fest

Como nasceram cervejarias que se destacaram no gosto popular durante o festival em Atibaia/SP

Bragantina, com novo visual, teve a sua ESB considerada a preferida pelo público, enquanto a Pilsen da Valenbier ficou em 2º e a Red Thunderbolt ficou em 3º (Fotos: Divulgação)

Bragantina, com novo visual, teve a sua ESB considerada a preferida pelo público, enquanto a Pilsen da Valenbier ficou em 2º e a Red Thunderbolt ficou em 3º (Fotos: Divulgação)

Cerveja que em sua produção passa por um filtro de café e cacau, a ESB Speedway da Bragantina foi a preferida pelo público do Expresso Bier Fest, de 20 a 22 de novembro em Atibaia (SP). Em segundo lugar, ficou a Pilsen da Valenbier, microcervejaria de Extrema (MG) criada por cinco irmãos engenheiros a partir do hobby do homebrewing. Em terceiro, foi eleita uma Irish Red Ale da Schmitz-Zandoná, de Guarulhos (SP), a Thunderbolt, cujo nome e logomarca fazem referência a um avião norte-americano notabilizado na II Guerra Mundial como difícil de derrubado − uma inspiração para quem vive no Brasil superar a crise atual.

A DECOLAGEM

Essa cerveja com nome do caça norte-americano foi lançada em primeira mão no festival. A aviação está bem presente na história da cervejaria. A Schmitz-Zandoná começou a nascer quando o piloto de ponte aérea Guilherme Schmitz produzia sua cerveja passou a ocupar as horas vagas com a produção da própria cerveja.

“Enquanto eu morava em Florianópolis, fazia da pesca meu escape do estresse das horas de voo. Quando me mudei para São Paulo, precisei largar este hobby e, lendo uma reportagem sobre cervejas artesanais, me identifiquei e comecei a criar a minha própria cerveja. Percebi que as pessoas passaram a apreciá-la e então resolvi fundar minha pequena empresa”, conta.

Tema da aviação está presente desde a primeira cerveja, uma Weizen chamada Flug - voo em alemão (Foto: Divulgação)

Tema da aviação está presente desde a primeira cerveja, uma Weizen chamada Flug - voo em alemão (Foto: Divulgação)

O piloto continua voando e ao mesmo toca os negócios com um sócio em terra. A primeira cerveja da marca, claro, tem um nome ligado à aviação: é uma Weizen chamada Flug (voo em alemão). Já a Thunderbolt é uma cerveja vermelha com teor alcoólico de 7%, levemente doce e finalizada com sabor mais seco e torrado. Segundo o produtor harmoniza bem com aves e também com comida japonesa.

“Como estamos passando por um ano difícil e, com a crise, não deveríamos errar no nosso lançamento, pensamos neste nome para driblar as turbulências financeiras”, explica Alexandre Zandoná.

Eliane Pires, uma das organizadoras do Expresso Bier Fest, identifica na contramão da crise um mercado crescente:

“Hoje mais pessoas se interessam por cervejas especiais pela qualidade do produto, pela variedade e adotam o conceito beber menos e melhor. Percebemos que muitos iniciam como um hobby e vai muito além do comercial, do negócio, cada cervejaria tem uma história com o produto. Existe um capricho e um cuidado com produtos de primeira qualidade.”

NEGÓCIO DE FAMÍLIA

Recompensa no festival de Atibaia (Foto: Divulgação)

Recompensa no festival de Atibaia (Foto: Divulgação)

Hobby é a origem da Valenbier, autora da Pilsen premiada com o segundo lugar. Segundo Elaine Valentin, uma das cofundadoras, a paixão de fazer cerveja em casa acabou virando um negócio da família. Ainda os irmãos não largaram seus empregos atuais, mas tocam os negócios da cervejaria durante o final de semana e investem em qualidade e comunicação da empresa.

"Não esperamos um retorno de imediato. Estamos investindo na visibilidade da marca e na qualidade de nossos produtos para nos solidificarmos e aí sim, termos o retorno investido. Nosso primeiro investimento de exposição da marca é o Expresso Bier Fest, e estamos satisfeitos com os resultados obtidos durante o evento”, afirma Eliane.

NOVO VISUAL

Flor de lis destacada no rótulo (Foto: Divulgação)

Flor de lis destacada no rótulo (Foto: Divulgação)

Durante o evento a Bragantina, da Speedway (1º lugar), apresentou sua nova comunicação, remodelada pelo ilustrador e artista Ciro Bicudo. O idealizador da cervejaria, Tarcizio Torres Candelaria, explica:

“A flor de lis que foi incorporada ao logo está presente no Brasão Bragantino, aparece como elemento central e está historicamente ligada à cerveja. É um símbolo com significados que remetem ao processo de produção cervejeira: ciência, orgulho, pureza de espírito, vontade, honra, nobreza, sabedoria e coragem. A inscrição em latim (Ad altiora - Às alturas) aponta o lema da cidade de sempre seguir adiante e manter o pensamento elevado com orgulho e coragem. Orgulho de fazer cerveja, orgulho de Bragança Paulista... Orgulho Interior!”

DIVERSIDADE NO FESTIVAL

Durante o festival, duas dezenas de cervejarias apresentaram mais de 70 rótulos com diversos estilos, entre IPAs, Stouts, Pilsens, Weiss e outras. O Expresso Bier Fest também contou com distribuidoras de cervejas importadas e da marca Hohenthanner da região da Baviera, Alemanha, que apresentou três estilos, entre elas a Märzen da tradicional Oktobertfest.

O destaque local do festival foi a microcervejaria Tibaya Cervejaria, que apresentou seus rótulos Pedra Grande. A empresa projeta crescimento, explica Eduardo Félix, mestre-cervejeiro e diretor de produção:

“Atualmente, temos a capacidade para produzir até 4.400 litros de cerveja por mês. Após a inauguração da nova fábrica, saltaremos para 8 mil litros, e há a expectativa de que até o final de 2016 possamos disponibilizar para o mercado de 12 a 15 mil litros de cerveja por mês.”