Edição anual da cerveja St. Bernardus chega ao Brasil

Série Magnum, em edição limitada, é trazida pela importadora Buena Beer

As edições especiais da celebrada cerveja belga começaram em 2012 (Foto: Divulgação)

As edições especiais da celebrada cerveja belga começaram em 2012 (Foto: Divulgação)

A importadora Buena Beer trouxe a série limitada Magnum, edição especial do rótulo Abt 12 da cervejaria St. Bernardus, uma das celebradas marcas da escola belga. As edições especiais para aficionados começaram em 2012, com uma celebração anual que a cervejaria transformou em garrafas limitadas.

Abt 12 é uma quadrupel nota 100 no Rate Beer e considerada uma das melhores cervejas do mundo. Desde 2012 ela virou edição de colecionador, com 1,5 litro, rolhada, o brasão da cervejaria gravado nas garrafas, lotes safrados e com diferentes artistas assinando a arte do rótulo em cada ano.

Com a mesma receita original de 1946, é uma cerveja de abadia escura com 10% de teor alcoólico e perfeitamente equilibrada. A Buena Beer trouxe com exclusividade todas as versões dessa série: 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016 (essa comemorativa pelas 70 anos da cervejaria).

A St. Bernardus chega no Brasil desde 2011 com importação exclusiva da Buena Beer, importadora com sede no Rio que traz cervejas belgas como Delirium Tremens, Gouden Carolus, St Bernardus, Chimay, St Feuillien e mais recentemente entrou no mercado norte-americano, com marcas como a Stone Brewing, a Green Flash e Alpine Beer Company.

St. Bernardus Abt 12 - Série Magnum

  • Estilo: Quadrupel
  • ABV: 10%
  • Formato: Garrafa (1,5 litro)
  • Rate Beer: 100
A série Magnum (Foto: Divulgação)

A série Magnum (Foto: Divulgação)

A St Bernardus

A história da cervejaria está diretamente ligada a dois mosteiros que deram o nome e também a receita para cerveja. O Mont des Cats (França) e o Westvleteren. A St.Bernard Brewery, que já produzia queijos, recebeu uma licença para produção de cervejas. O mestre-cervejeiro da Westvleteren, Mathieu Szafranski virou sócio na cervejaria e trouxe as receitas, o know-how e a cepa do fermento de St.Sixtus.

Em 1992, a licença chegou ao fim e desde então as cervejas continuam sendo produzidas, com as mesmas receitas, mas agora com uma marca diferente, St.Bernardus.