Heineken decide encerrar distribuição pela Coca-Cola no Brasil

Marca holandesa pretende fortalecer rede própria, com a estrutura da Brasil Kirin

Contrato da Heineken com a Coca-Cola Femsa iria até 2022, mas deve ser encerrado em 31 de outubro de 2017 (Foto: Divulgação)

Contrato da Heineken com a Coca-Cola Femsa iria até 2022, mas deve ser encerrado em 31 de outubro de 2017 (Foto: Divulgação)

Com a intenção de fortalecer um sistema próprio de distribuição no Brasil, graças à aquisição da Brasil Kirin, a Heineken decidiu antecipar o encerramento da parceria com a Coca-Cola Femsa. A informação consta do relatório de desempenho do segundo trimestre da Femsa. O contrato original entre as duas companhias tinha vencimento em 2022, mas será encerrado em 31 de outubro deste ano. A Femsa informou que recebeu uma carta da Heineken no dia 3 de julho, informando a sua decisão de encerrar o acordo.

Logo após adquirir a Brasil Kirin, por R$ 2,2 bilhões, a Heineken anunciou que pretendia fortalecer a distribuição própria e, em consequência, encerrar a parceria com a Femsa, até então responsável por toda a distribuição das marcas da Heineken no Brasil. A Brasil Kirin tem uma rede de 180 revendedores e 20 centros de distribuição, que atendem em torno de 600 mil pontos de vendas no país, contra 1 milhão de pontos de vendas alcançados pelo sistema Coca-Cola Brasil.

A mexicana Coca-Cola Femsa, a maior engarrafadora de Coca no mundo, anunciou nesta segunda-feira (24 de julho) uma alta de 11,5% no lucro líquido do segundo trimestre, beneficiada por receita maior e crescimento das operações na América do Sul. Porém, com a notícia do encerramento da parceria de distribuição, as ações da Femsa caíam 2,69% na bolsa mexicana, pressionando o principal índice de ações do México.

"Estamos analisando possíveis ações a serem tomadas enquanto buscamos manter um diálogo construtivo com a Heineken", informou a Coca-Cola Femsa em comunicado enviado à bolsa de valores mexicana.

A empresa teve lucro líquido de 2,232 bilhões de pesos (US$ 123 milhões) no segundo trimestre, ante 2,001 bilhões de pesos no mesmo período do ano anterior. A receita trimestral cresceu 25,5% na mesma base de comparação, para 50,1 bilhões de pesos. O lucro por ação atingiu 1,07 peso, de acordo com a companhia.