Cerveja, Destaque

Lançada Frente Parlamentar em Defesa da Indústria Paranaense de Bebidas

O movimento, liderado pela Associação dos Fabricantes de Refrigerantes do Brasil (Afrebras), conta com a participação da Associação das Micros Cervejarias do Paraná (Procerva) e do Sindibebidas (Foto: Divulgação)

O movimento, liderado pela Associação dos Fabricantes de Refrigerantes do Brasil (Afrebras), conta com a participação da Associação das Micros Cervejarias do Paraná (Procerva) e do Sindibebidas (Foto: Divulgação)

Grupo conta com a participação de 33 deputados estaduais do Paraná

Para discutir as distorções tributárias do setor de bebidas no Estado do Paraná e recuperar os incentivos fiscais destinados ao segmento, será lançada nesta terça-feira, 9 de agosto, a Frente Parlamentar em Defesa da Indústria Paranaense de Bebidas. O grupo contará com a participação de 33 deputados estaduais.

 
 

O movimento, liderado pela Associação dos Fabricantes de Refrigerantes do Brasil (Afrebras), conta com a participação da Associação das Micros Cervejarias do Paraná (Procerva) e do Sindibebidas. No total, as entidades representam mais de 60 indústrias. Segundo Fernando Rodrigues de Bairros, presidente da Afrebras, as empresas do segmento sofrem com a desigualdade mercadológica e com a falta de isonomia tributária, o que contribui muito para o avanço da concentração de mercado.

“As grandes corporações dominam o setor de bebidas no Brasil e, mesmo assim, pagam menos impostos que os fabricantes regionais, empreendimentos que geram milhares de empregos no Paraná”, detalha Bairros.

De acordo com Rodrigo Marcon, CEO da Cini Bebidas, aprsentada como "a fábrica de refrigerantes mais antiga do Brasil", os deputados entenderam que é necessário discutir esse assunto que se tornou fundamental para a manutenção de um segmento de extrema importância para o Paraná.

"Não estamos pedindo nada além do que direitos fiscais parecidos com os das grandes multinacionais. O Governo do Paraná precisa valorizar o nosso segmento e, principalmente, os milhares de empregos que geramos em todas as regiões do Estado", comenta.

Com 111 anos de história, a Cini chegou a gerar 280 empregos diretos, mas nos últimos meses teve que readequar seu quadro de mão de obra devido ao impacto de 6% sobre o faturamento neste ano, gerado pelo fim do subsidio do governo estadual em parte do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) das empresas de bebidas.

"É necessário que os nossos governantes entendam que com a volta dos incentivos poderemos manter nossos preços, implementando nossa atuação e gerando mais empregos”, completa Marcon.

A Frente Parlamentar em Defesa da Indústria Paranaense de Bebidas será lançada oficialmente a partir das 17h, no Plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Paraná.