Grupo cervejeiro Brüder inaugura segunda casa em BH

Don Patrício Brüder Bar fica no bairro de Lourdes, região gastronômica

A premiada American Red Lager é um dos destaques da cervejaria mineira (Foto: Divulgação)

A premiada American Red Lager é um dos destaques da cervejaria mineira (Foto: Divulgação)

O Grupo Brüder se prepara para lançar mais uma casa na capital mineira. O Don Patrício Brüder Bar fica na Rua Marília de Dirceu, 159, no coração do bairro de Lourdes, região conhecida pela vida noturna agitada e pelas diversas opções de lazer e gastronomia. Essa é segunda casa do grupo em Belo Horizonte e a nona em Minas Gerais. O estabelecimento abre suas portas para o público no dia 6 de julho e o funcionamento será de quinta-feira a sábado, a partir das 18h.

A proposta do Don Patrício Brüder Bar, um "local cervejeiro e alternativo", é se tornar um reduto daqueles que gostam de cerveja artesanal, música boa e querem reunir os amigos. A música que vai predominar no local é o bom e velho rock 'n' roll, mas, em alguns dias, o público também poderá apreciar outros estilos, como blues e jazz.

“Em todos os dias de funcionamento da casa haverá um show e as bandas serão escolhidas a dedo; além disso, não haverá cobrança de entrada, consumação e couvert”, destaca Rildo Wagner, um dos sócios do Grupo Brüder.

O Don Patrício – Brüder Bar tem capacidade para 300 pessoas em dois andares agradáveis e aconchegantes, com luz mais baixa e clima de pub. No andar de baixo da casa serão realizados os shows e as pessoas poderão ficar em pé, utilizando as mesas de apoio. Já o andar de cima, com capacidade para 60 pessoas, é mais reservado e o público pode se sentar e desfrutar de um ambiente mais tranquilo. Nesse espaço, também será possível realizar reserva de mesas ou até mesmo fechá-lo para alguma comemoração, como aniversário, por exemplo.

No bar, todos os rótulos produzidos pela Brüder Cervejaria Artesanal poderão ser encontrados nas torneiras de chope em copos de 300ml e 500ml. Atualmente, a cervejaria oferece seis cervejas: Pilsen, Weizen, Inhô Trindade, India Pale Ale (IPA), Coquinho Azedo e American Red Lager. Com utilização de equipamentos de ponta e seleção rigorosa de matéria-prima as cervejas são admiradas no meio cervejeiro e quatro dos seis rótulos têm prêmios nacionais e internacionais.

Além das torneiras oferecendo os tradicionais chopes da marca, os clientes poderão se surpreender com barris inéditos de cervejas experimentais e pré-lançamentos de novos rótulos. Algumas torneiras serão reservadas exclusivamente para barris de ‘Cervejarias Amigas’. “A ideia é oferecer cervejas de velhos amigos cervejeiros de Minas para que o público tenha sempre novas experiências e possamos contribuir com a cultura cervejeira", comenta Rafael Patrício Martins, cervejeiro da Brüder.

Para aqueles que gostam de apreciar as cervejas em casa, isso também será uma realidade do Don Patrício.

“Em um futuro próximo, teremos um Growler Station, onde comercializaremos nosso growler exclusivo e personalizado e todos os nosso rótulos. Isso é interessante, principalmente por conta das cervejas que não serão fixas no bar. Se a pessoa experimentou e apaixonou por uma cerveja específica, pode adquirir o growler e levá-la para apreciar em casa”, destaca Patrício.

O cardápio, composto por porções individuais que remetem aos pratos oferecidos nos bares do interior, possui diversas opções para agradar a todos os gostos e oferece ainda possibilidades de harmonização com cervejas da carta.

“Iremos trabalhar para que nossa equipe esteja sempre em diálogo com os clientes na hora da escolha dos pratos e cervejas, sempre em buscando proporcionar as melhores experiências”, comenta Rildo Wagner.

Ainda segundo Rildo, o clima que querem dar ao bar é o de um festival de cerveja: reunir os amigos, desfrutar uma boa cerveja e petiscar.

“Não vamos abrir todos os dias justamente para que o Don Patrício seja um acontecimento, um ponto de encontro para beber cervejas especiais em clima de fim de semana, dispensando alguns rituais tradicionais de casas especializadas e suas formalidades”, finaliza.

As cervejas e os prêmios

Pilsen: eleita a 2ª melhor Pilsen da América do Sul na South Beer Cup 2017. O equilíbrio entre maltes e lúpulos faz dela uma cerveja para todos os momentos. Drinkability é seu ponto alto.

American Red Lager: recebeu medalha de prata na Copa Cervezas de América 2016 e no Festival Brasileiro da Cerveja, Blumenal/SC, em 2016 e 2017. A cerveja apresenta um tom rubi brilhante, no aroma de caramelo dos maltes e cítrico dos lúpulos norte-americanos.

Weizen: recebeu medalha de bronze na Copa Cervezas de America em 2016. Cerveja de trigo alaranjada, turva, de sabor frutado e leve amargor.

Inhô Trindade: uma cerveja tipo Porter, com notas de chocolate e café. Em sua composição, quatro maltes especiais, malte de trico e aveia em flocos garantem complexidade e uma cerveja potente. Inhô Trindade é uma homenagem ao patriarca da família Souza.

India Pale Ale: Conhecida pela sigla IPA, tem aroma cítrico e sabor frutado, com notas de maracujá e manga, com amargor expressivo.

Coquinho Azedo: recebeu medalha de prata no Festival Brasileiro da Cerveja, Blumenal/SC em 2017. A combinação de ingredientes exóticos com os insumos tradicionais resultou em uma Fruit Beer, resultado da parceria com a Cooperativa dos Agricultores Familiares Grande Sertão, de Montes Claros (MG). Feita com essa fruta típica do norte do estado, foi desenvolvida a partir de uma base de cerveja puro malte, com maltes especiais para dar complexidade e com lúpulos de características picantes do tipo saaz. Optou-se por não filtrá-la e foi aplicada uma grande carbonatação. Ideal para beber em taça de espumante.

Fruit Beer foi feita em parceria com a Cooperativa dos Agricultores Familiares Grande Sertão, de Montes Claros/MG (Foto: Nilmar Lage/Divulgação)

Fruit Beer foi feita em parceria com a Cooperativa dos Agricultores Familiares Grande Sertão, de Montes Claros/MG (Foto: Nilmar Lage/Divulgação)

O Grupo Brüder

A Brüder Cervejaria Artesanal é um exemplo de coragem e concretização de um antigo sonho dos irmãos Rildo, Robson e Rogério Souza – por isso o nome Brüder, que em alemão significa irmãos. Depois de muitas conversas, estudos e visitas às grandes fábricas do segmento no Brasil, o primeiro saco de malte despejado na tina de cozimento foi no dia 22 de setembro de 2011. Hoje, a fábrica se localiza no Distrito Industrial de Ipatinga (MG). As cervejas Brüder já podem ser encontradas, além do Vale do Aço, em Governador Valadares, Diamantina, Belo Horizonte, Contagem, São Paulo, Espírito Santo e Rio de Janeiro.

Atualmente, o grupo Brüder é formado pela fábrica, casas de shows (Brüder Music Hall - Ipatinga), bares (Don Patrício – Belo Horizonte, Ipatinga e Timóteo, Brüder Butiquim – Belo Horizonte, Governador Valadares, Ipatinga e João Monlevade) e boate (Brüder Evoloution - Ipatinga).

O cervejeiro

Patrício Brüder começou nas panelas da Acerva Mineira (Foto: Nilmar Lage/Divulgação)

Patrício Brüder começou nas panelas da Acerva Mineira (Foto: Nilmar Lage/Divulgação)

Patrício Brüder – nos idos de 2006 era apenas Rafael Patrício – juntou meia dúzia de amigos e decidiu investir nisso. Devorou um bocado de livros, deu uma viajada por aí, comprou um kit do tipo “as seen on TV” e deu início aos trabalhos. Em alguns meses já se juntou ao grupo que fundou a Acerva Mineira (Associação de Cervejeiros Caseiros de Minas Gerais) e a partir daí, começou um exercício de via sacra e percorreu os principais festivais de cerveja no país, sendo premiado em alguns, com destaque para o Certificado de Prata na categoria Imperial IPA, no Campeonato Brasileiro de Blumenau, em 2010; e o segundo lugar no Campeonato Estadual da Acerva Mineira, em 2011.

Nesse ano sui generis, surge uma cervejaria no caminho. Patrício encerra suas atividades como homebrewer e inicia sua trajetória numa pequena fábrica. Estudou muito e também teve ajuda de gente grande: recebeu dentro da fábrica da Brüder o treinamento dos mestres Mathias Reinold e Ilceu Dimmer.

Em 2016 ganhou sua principal recompensa, a Medalha de Prata do Festival Brasileiro da Cerveja de Blumenau, um reconhecimento dos colegas pelo trabalho primoroso na criação de uma cerveja notável, a American Red Lager. Ainda em 2016 mais uma medalha de prata para Red Lager e bronze para Weizen na Copa Cervezas de América. As premiações continuaram em 2017: prata para Red Lager e prata para American Fruit Bier Coquinho Azedo em Blumenau e prata para Pilsen na South Beer Cup, a “Libertadores” das cervejas.