Grupo nascido no Facebook abre ponto de venda físico

Conexões RS, com 80 mil integrantes, instala loja colaborativa em Porto Alegre

Projeção de como ficará a loja a ser instalada no bairro Moinhos de Vento, na capital gaúcha (Foto: Divulgação)

Projeção de como ficará a loja a ser instalada no bairro Moinhos de Vento, na capital gaúcha (Foto: Divulgação)

O Conexões RS, que usa o Facebook como plataforma de vendas online, foi criado pela jornalista e publicitária gaúcha Mauren Motta e é focado na fomentação de negócios para pequenos e médios empreendedores gaúchos, de diferentes tipos de atividades e produtos. Com quase 80 mil membros, o projeto agora segue novos passos. Acompanhando o sucesso do grupo, criado em maio de 2016, a ideia agora é abrir também um ponto de vendas físico, no bairro Moinhos de Vento, em Porto Alegre, para a geração de mais oportunidades.

"Queremos seguir o modelo de loja colaborativa que já é sucesso em outras cidades brasileiras. A ideia é fomentar ainda mais o empreendedorismo local para quem só vende online", conta Mauren.

A novidade da loja do grupo, a Conexões RS Pop Up Colab vai funcionar pelo sistema de locação de espaços. Assim como no grupo, os produtos vão passar pelo sistema de curadoria e terão um prazo para dar certo dentro da loja. Será cobrada uma taxa de administração de 20% sob o custo das mercadorias. Além do ponto de venda físico, a grande vantagem de fazer parte do COLAB é que a força do grupo Conexões RS será usada para incrementar as vendas.

O Conexões RS já estava trilhando o caminho certo antes mesmo de o próprio Facebook se dar conta da relevância e da força dos grupos nas redes sociais. Com um novo posicionamento recém lançado, focando nos grupos, Mark Zuckerberg quer mudar o foco, dar mais poder para os usuários e estimular novas amizades/negócios oriundos de comunidades digitais. Com a mudança, a ferramenta de grupos ganha protagonismo na estratégia da maior rede social do mundo, mais vantagens e visibilidade.

Dos 80 mil membros do Conexões RS, 60 mil são ativos no grupo, segundo dados do Facebook. A fomentação decorre do bem-sucedido formato em rede que possibilita vários novos negócios para os participantes, todos os dias. No grupo, as mulheres são maioria (67.5%), os homens minoria (32.5%). Os integrantes chegam de diferentes partes do Estado, indo desde a capital (Porto Alegre) até a Serra Gaúcha, assim como toda a Região Metropolitana e cidades do Interior. Diariamente são aprovados cerca de 100 novas postagens que devem seguir à risca as regras do grupo e ainda agradar aos curadores.

"Temos muitas solicitações de postagens e somos rígidos, nem sempre temos a agilidade necessária para as aprovações, mas tudo que entra no grupo tem qualidade e esse é o segredo do sucesso do Conexões!", acrescenta Mauren.

Mensalmente, cerca de 2.500 novos membros chegam ao Conexões RS em busca de novos negócios. De olho na crise e no marasmo econômico do país, Mauren movimenta o grupo com vídeo lives feitas de 2 a 3 vezes por semana, que chegam a impactar mais de 7 mil membros por aparição.

"Nos vídeos ao vivo transmitidos para o grupo não só conto novidades da rede e do mercado, como também fico mais próxima dos integrantes. No Conexões as pessoas se sentem cuidadas. A nossa relação é de muita troca tanto ao vivo, quanto nos comentários! Muita gente mudou de vida graças ao grupo e isso não tem preço!", completa a criadora.

Quanto ao Conexões estar virando uma mídia, a jornalista ressalta que muitas marcas entendem o grupo como um canal de nicho, com público qualificado.