KLM e Heineken prometem chope a bordo

Para oferecer cerveja "on tap" em voo cruzeiro, a Heineken teve de desenvolver um novo tipo de dispensador (Foto: Reprodução)

Para oferecer cerveja "on tap" em voo cruzeiro, a Heineken teve de desenvolver um novo tipo de dispensador (Foto: Reprodução)

Companhias anunciam ter dominado a tecnologia para servir cerveja com pressão a 11 mil metros

Duas gigantes holandesas, a KLM e a Heineken anunciam um avanço na "alquimia" cervejeira: a possibilidade de servir chope a bordo, em altitude de voo cruzeiro (a quase 11 mil metros). A conquista, destacado por veículos como a Fox News e o Daily Mail na segunda semana de julho, é esperada para chegar aos passageiros da companhia aérea ainda em agosto.

 
 

A chopeira especial foi desenvolvida pela Heineken. Edwin Griffioen, que projetou a nova instalação, explica, em declaração reproduzida pelo Daily Mail:

"Como a pressão do ar é muito mais baixa em um avião a voo cruzeiro do que ao nível do mar, uma torneira de cerveja tradicional não funciona. Dispensa uma enorme quantidade de espuma. Já tínhamos dispensadores de cerveja que trabalham com a pressão de ar, mas eram grandes demais para caber em um avião. Foi um grande quebra-cabeça, como o barril de cerveja, o sistema de refrigeração e o compressor de pressão de ar todos tiveram para caber em um carrinho de catering aéreo. No final, tivemos de deixar de fora uma dessas peças para fazer tudo se encaixar, então com dor em nossos corações tivemos de deixar fora o sistema de resfriamento."

Os kegs – quatro por voo – embarcam já refrigerados.

"Nós redesenhamos o carrinho para se assemelhar a uma garrafa térmica gigante. A cerveja tem de permanecer abaixo de cinco graus Celsius. No nosso último teste, conseguimos facilmente uma temperatura de 3,5°C depois de sete horas. Conseguimos definir o diâmetro da torneira e a pressão do ar a exatamente a combinação certa, o que proporciona a 36.000 pés (a quase 11 mil metros de altitude) exatamente a mesma cerveja que você iria beber em solo."

O plano era que a chopeira estreasse em um voo para Curaçao, em 2 de julho, mas a companhia aérea se obrigou a um adiamento à espera dos certificados de segurança exigidos pelas autoridades da aviação civil. A previsão é de que alguns voos selecionados tenham a chopeira a partir de agosto.