Bäcker comemora três medalhas no Concurso Brasileiro de Cervejas

O destaque da cervejaria mineira no pódio é o ouro para a melhor Pilsen do Brasil

O mestre-cervejeiro da Bäcker, uma das mais antigas cervejarias artesanais mineiras em atividade, é Sandro Duarte (Foto: Divulgação)

O mestre-cervejeiro da Bäcker, uma das mais antigas cervejarias artesanais mineiras em atividade, é Sandro Duarte (Foto: Divulgação)

Uma das cervejarias artesanais mais antigas de Minas Gerais, a Bäcker voltou de Blumenau (SC) com três medalhas, conquistadas no Concurso Brasileiro de Cervejas 2017. A fábrica de Belo Horizonte festeja o ouro na categoria Pilsener com a Backer Pilsen, prata na Wood and Barrel Aged Strong Beer, com a Bravo, e bronze na Double Red Ale com a Las Mafiosas Corleone.

O mestre-cervejeiro da Bäcker, Sandro Duarte, considera o ouro conquistado na categoria Pilsen "muito especial". A categoria é a mais concorrida pois todas as cervejarias produzem esse estilo e normalmente esse também é o tipo de cerveja predominante de todas as marcas.

“É o carro chefe de todas as cervejarias. Então, ser reconhecido como a melhor Pilsen no concurso é realmente um privilégio que enaltece o trabalho realizado pela Bäcker. Outro detalhe é que a Pilsen, além de ser a mais produzida, é também o estilo que impõe as maiores dificuldades. É uma bebida de baixa fermentação que não permite erros, pois qualquer defeito fica facilmente a mostra. Ou seja, é um produto muito delicado”, afirma.

Mestre-cervejeiro da Bäcker desde 2015, Sandro Duarte possui MBA em Gestão Estratégica do Agronegócio pela Universidade Newton Paiva, é engenheiro agrônomo pela Universidade Federal de Viçosa e técnico especial em Cervejaria e Maltaria pela Câmara da Indústria e Comércio para Munique e Alta Baviera e pelo Senai.

A cervejaria também credita o resultado ao investimento em controle de qualidade. Hoje, Hayan Khalil, um dos proprietários, está à frente deste importante departamento com um trabalho contínuo que envolve um maior rigor na aquisição de ingredientes e matérias-primas, acompanhamento de toda a produção e também, em parceria com o mestre-cervejeiro, a criação de novas receitas para o portfolio premiado da Backer. E esse investimento já produz resultados. Em 2016, a Bäcker conquistou importantes prêmios nas Américas e na Europa, reflexo do trabalho deste departamento.

Hayan Khalil, sommelier de cervejas na Doemens da Alemanha, possui cursos também de gestão sensorial, tecnologia cervejeira, controle microbiológico e controle de qualidade para cervejaria.

Criada em setembro de 1998, a receita do chope Bäcker, “made in Minas”, conquistou os clientes da Três Lobos, casa de shows de Belo Horizonte. O sucesso fez com que os empresários Halim e Paula Lebbos e Munir Khalil investissem em um espaço, no qual iniciaria a produção da "primeira cerveja artesanal de Minas Gerais, em outubro de 2005".

No final de 2014, a Bäcker abriu as portas do Pátio Cervejeiro, complexo que engloba o restaurante Tempo Cervejeiro e a Maternidade Cervejeira, onde são produzidas as cervejas. O Pátio abriu as portas também para os cursos cervejeiros, que tem sido muito procurados pelos interessados em conhecer mais sobre as cervejas.

A marca produz 17 tipos de cervejas: Pilsen, Pale Ale, Trigo, Brown, Medieval, Capitão Senra, Série Três Lobos (American Pilsen), Pele Vermelha (IPA – Indian Pale Ale), Exterminador de Trigo (Wheat Beer), e a Bravo (Imperial Porter). A Brazuka foi uma cerveja sazonal para a época da Copa, mas, com a aceitação que teve continua sendo vendida no Templo Cervejeiro, a série Las Mafiosas (Corleone, Tommy Gun e Diabolique), a Pilsen Export , Bohemia Pilsen e mais recentemente Julieta e Reserva. A Cervejaria fabrica também vários tipos de chopes.


Serviço

  • O quê: cervejaria Bäcker
  • Onde: Rua Santa Rita, 220 – bairro Olhos D’ Água, Belo Horizonte (MG)
  • Como: delivery pelo (31) 3288-2958