Cerveja

Produção de cerveja reage graças a inverno quente

Crescimento de 6,2% em agosto interrompe sequência de quedas

Gráfico do boletim de set/2015 da CervBrasil mostra a variação da produção nacional de cerveja sobre o mesmo mês do ano anterior

Gráfico do boletim de set/2015 da CervBrasil mostra a variação da produção nacional de cerveja sobre o mesmo mês do ano anterior

Em contraste com a curva de queda dos últimos meses, a produção nacional de cerveja em agosto cresceu 6,2% em relação a julho e 5,6% em relação ao mesmo período de 2014. Foram produzidos 1,09 bilhão de litros de cerveja. Os números são do balanço de setembro recém divulgado pela Associação da Brasileira da Indústria da Cerveja (CervBrasil). Um dos fatores decisivos, conforme a avaliação entidade, é o inverno atípico. As altas temperaturas registradas no período beneficiaram a indústria.

Também contribuiu o fato de a inflação da bebida ser inferior ao índice geral: o IPCA da cerveja foi de 4,5%, enquanto o mais amplo ficou em 7,1%. Para segurar a inflação da cerveja, um elemento importante é a consumida em domicílio, que teve queda de -0,2% nos preços, e a consumida fora teve inflação idêntica à geral: 7,1%.

Variação da inflação (Fonte: Boletim CervBrasil set/2015)

Variação da inflação (Fonte: Boletim CervBrasil set/2015)

A CervBrasil é composta pelas quatro maiores fabricantes no país – Ambev, Brasil Kirin, Grupo Petrópolis e Heineken Brasil –, que respondem por cerca de 96% do mercado. Para baixar o boletim da entidade, clique aqui.