Cerveja

Das Bier investe em preservação ambiental

Em 2013, foi iniciado o plantio de 5 mil mudas de espécies nativas da região de Gaspar/SC (Fotos: Divulgação)

Em 2013, foi iniciado o plantio de 5 mil mudas de espécies nativas da região de Gaspar/SC (Fotos: Divulgação)

Cervejaria catarinense devolve ao rio água tratada e recupera mata

Durante a Semana do Meio Ambiente, culminada com o 5 de junho, a Das Bier compartilha bons exemplos. Desde a fundação, em 2006, a cervejaria catarinense utiliza o sistema de Zona de Raízes: a água excedente usada na produção do chope é tratada e devolvida ao rio que passa pela propriedade. Entre outras ações, também estão a recuperação da mata ciliar da margem do rio, a separação do lixo reciclável e a utilização da água da chuva para diferentes fins.

O gerente de produção, Leandro Schmitt, explica que a água utilizada na produção dos chopes é mineral, sai do poço artesiano de uma nascente e vai direto para a produção.

“Atualmente devolvemos praticamente toda a água limpa para o rio. A cada produção fazemos a análise da alcalinidade e da pureza da água para confirmação de que pode ser devolvida à natureza”, explica. A água da chuva também é uma alternativa usada pela empresa. “Temos coletores instalados em pontos estratégicos que, conforme são cheios, utilizamos nos jardins e também para a limpeza de determinados locais da fábrica”, comenta Leandro.

CERVEJARIA ESTá instalada em um complexo de lazer e gastronomia, no bairro Belchior (Foto: Divulgação)

CERVEJARIA ESTá instalada em um complexo de lazer e gastronomia, no bairro Belchior (Foto: Divulgação)

A Das Bier está localizada no Bairro Belchior, dentro do complexo Schmitt Lazer & Gastronomia, que além da cervejaria conta com 504 mil metros quadrados de área, 16 lagoas, das quais duas para a pesca. Em 2013, a empresa deu início ao processo de recuperação da mata ciliar das margens do rio: foram plantadas 5 mil mudas de espécies nativas da região nos 20 mil metros quadrados que envolvem o local. O projeto foi realizado pela Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida (Apremavi), e a segunda etapa, a ocorrer até o final de 2015, prevê o plantio de mais 2 mil mudas.