Cerveja

Cervejaria Nacional lança 2ª edição de cerveja sem lúpulo

Essa gruitbier tem 6,5% de teor alcoólico e por conta da ausênica do lúpulo não apresenta IBU

A Magrela leva na receita uma seleção de ervas, flores, folhas e raízes, como erva doce, cravo, canela, pimenta do reino, coentro, louro, gengibre e noz moscada (Foto: Divulgação)

A Magrela leva na receita uma seleção de ervas, flores, folhas e raízes, como erva doce, cravo, canela, pimenta do reino, coentro, louro, gengibre e noz moscada (Foto: Divulgação)

No dia 11 de maio, as torneiras da Cervejaria Nacional, de São Paulo (SP), recebem a 2ª edição da Magrela, uma gruitbier criada em parceria com o Bike and Beer Belgica (programa que leva os cervejeiros viajantes para conhecer as cervejarias da Bélgica de bike). O lúpulo da receita é substituído por uma seleção de ervas, flores, folhas e raízes, como erva doce, cravo, canela, pimenta do reino, coentro, louro, gengibre e noz moscada, além de aveia, trigo, cevada crua, mel e açúcar mascavo. Essa mistura auxilia a preservação da cerveja e garante muitos aromas e sabores, neutralizando o dulçor e perfumando a bebida.

A cerveja sem adição de lúpulo segue uma tradição europeia, do século VIII. A utilização dessa mistura de ervas, chamada gruit, era muito comum em praticamente toda a Europa. Em determinadas regiões, os bispos possuíam o gruitrecht, direito de fornecer o gruit – um monopólio lucrativo. Com o tempo, o uso do lúpulo foi gradualmente adotado, por conta da dificuldade em estabelecer as proporções corretas dos ingredientes.

A Magrela tem 0 IBU, por conta da ausência do lúpulo, 6,5% de teor alcoólico e uma cor dourada intensa. Foram produzidos 500 litros, que poderão ser degustados na Cervejaria Nacional até terminarem.