Cerveja

2Cabeças e Sixpoint farão cerveja via financiamento coletivo

Projeto de produzir a Imperial Stout com cumaru nasceu de forma curiosa: com comentário no Instagram (Foto: Divulgação)

Projeto de produzir a Imperial Stout com cumaru nasceu de forma curiosa: com comentário no Instagram (Foto: Divulgação)

Colaborativa com cumaru e açúcar mascavo será bancada via Social Beers

Plataforma de financiamento coletivo para a produção de cervejas artesanais, a Social Beers anuncia novo projeto em busca de investidores. Trata-se de uma colaborativa entre os mestres cervejeiros Bernardo Couto e Maíra Kimura, da 2Cabeças (Brasil), e Heather McReynolds, da americana Sixpoint. O projeto está disponível no site do Social Beers para colaboração dos usuários, que ganharão copos, camisetas e growlers customizados conforme volume colaborado. Para entrar na página, clique aqui.

A cerveja, uma Imperial Stout com cumaru e açúcar mascavo, já tem nome: Ponta-Cabeça. Ela começou a nascer de um comentário no Instagram do perfil da Sixpoint, sugerindo que eles fizessem uma cerveja colaborativa com a 2 Cabeças, do Brasil.

O ponto de partida para a cervejaria americana era buscar um ingrediente brasileiro, e esse intercâmbio de conhecimento entre os três profissionais teve como base uma receita que Bernardo havia feito anos atrás como cervejeiro caseiro: Imperial Stout com cumaru, uma semente típica da Amazônia com características que se assemelham a uma baunilha, com aparência escura e formato próximo ao de uma uva-seca. Os americanos se empolgaram, e as duas equipes trabalharam juntas para reformular a receita e adaptá-la para uma planta industrial.

Bernardo explica que a base de grãos é bem complexa: são 8 maltes diferentes, resultando em uma cerveja com sabores bem intensos e marcantes, resultado dos maltes tostados, chocolate, caramelo. Esses maltes, com açúcar mascavo, serão responsáveis também pelo elevado teor alcoólico (10%) da cerveja. Balanceando com todo o dulçor, sabores distintos dos maltes e a alta graduação alcoólica, o amargor aproximado será de 50 IBU, provenientes de 10kg de lúpulos alemães: Magnum e Tettnanger.

A estrela da receita é o cumaru. "Também conhecido como ‘fava tonka’, tem aroma único, e é usado em doces da mesma maneira que a baunilha, assim como na perfumaria", explica Bernardo. "Combinado com maltes tostados e caramelados, vai formar um potente aroma para esta cerveja."