Cervejarias, Cervejas

Abadessa planeja produção de novo lote na Alemanha

Primeiro lote da cervejaria gaúcha na Europa se esgotou durante a Copa do Mundo

Herbert Schumacher na loja em Geisenfeld, onde a Abadessa Export foi comercializada (Foto: Divulgação)

Herbert Schumacher na loja em Geisenfeld, onde a Abadessa Export foi comercializada (Foto: Divulgação)

Em sintonia com a bem-sucedida Seleção Alemã, a cervejaria Abadessa, do Rio Grande do Sul, produziu a Export em terras bávaras e vendeu todo o lote produzido. Animado, Herbert Schumacher já planeja a produção de um novo estilo.

“A nossa ideia e do distribuidor é seguir com a produção. Agora em setembro eu viajo para Alemanha e vou definir o próximo rótulo. Acredito que será a nossa Emigrator Doppelbock, para o inverno europeu”, afirma o proprietário da Abadessa.

Nota Fiscal de venda da Abadessa Export (Foto: Divulgação)

Nota Fiscal de venda da Abadessa Export (Foto: Divulgação)

O convite para comercializar a cerveja na cidade de Geisenfeld (60 km de Munique) veio de uma distribuidora alemã que, como estratégia de marketing, queria vender uma cerveja brasileira durante o mundial e escolheu a Abadessa. Devido aos altos custos para exportar a cerveja para a Alemanha, a Abadessa optou por produzir o lote especial para a Copa em território alemão. Para isso, utilizou o espaço da Bürgerbräu, na região da Baviera. Cerca de 7 mil litros foram produzidos.

“Seria inviável produzir aqui e enviar para lá, os custos são muito altos, por isso optamos por produzir em uma cervejaria da Baviera. Todo o processo durou cerca de 40 dias”, destaca Schumacher.

A Abadessa não foi a única cervejaria a atravessar o oceano durante a Copa. A Bodebrown, em parceria com a britânica Adnams Brewery, vendeu o chope Curitiba Pale Ale por 900 pubs espalhados pela Inglaterra. A bebida homenageou um dos principais polos de crescimento da cerveja artesanal no Brasil, cidade da Bodebrown. A produção colaborativa foi matéria da Revista Beer Art, em maio deste ano. Confira aqui.