Cerveja

Um recado de Charles Papazian para as cervejarias

Crie uma ligação emocional com sua cidade, recomenda o presidente da Brewers Association

O presidente da Brewers Association (BA), Charles Papazian, palestra na Brau Beviale, em Nuremberg, na  Alemanha (Foto: Marcelo Peña)

O presidente da Brewers Association (BA), Charles Papazian, palestra na Brau Beviale, em Nuremberg, na  Alemanha (Foto: Marcelo Peña)

Marcelo Peña

Nuremberg (Alemanha)

As cervejarias devem pensar em desenvolver a sua marca mas também a cidade, a comunidade, criar uma ligação emocional. Essa é uma das recomendações enfatizadas pelo presidente da Brewers Association (BA), Charles Papazian, em concorrida palestra na Brau Beviale, em Nuremberg, na Alemanha. Tive o privilégio de assistir a essa conferência, na quarta-feira, 12, por estar em meio a um roteiro pela Alemanha, pela Gel Chopp. O números e lições que ele apresentou são valiosos, e compartilho a seguir com os leitores da revista Beer Art.

Lições

As coisas mudaram. Os produtores de malte e lúpulo têm que ter a cabeça aberta para fazer coisas diferentes e inovar.

As cervejarias americanas não competem entre si, mas sim com as grandes.

A cerveja artesanal no Estados Unidos é feita de: Sonhos Curiosidade Paixão Entusiasmo Enfrentar desafios Começar pequeno e crescer. Aprender fazendo.

Números

Hoje nos EUA são:

3100 cervejarias

1.250.000 homebrewers

As artesanais têm 11% mercado em produção mas 20% do mercado em receita.

As artesanais utilizam 30% do malte e 40% do lúpulo comercializados nos EUA.

A indústria da Cerveja artesanal injeta US$ 34 bilhões por ano na economia americana.