Cervejas, Cervejarias

Ashby relança sua primeira Pale Ale

Rótulo comemorativo volta ao mercado no momento em que cervejaria expande sua linha

O resgate do rótulo produziu a nova arte com base em arquivos da época (Foto: Divulgação)

O resgate do rótulo produziu a nova arte com base em arquivos da época (Foto: Divulgação)

No Brasil desde 1993, a Cervejaria Ashby, instalada na cidade de Amparo (SP), na Serra da Mantiqueira, vai relançar sua linha de cervejas e resgatar o seu primeiro rótulo. Uma cerveja do tipo Pale Ale, considerada a primeira do estilo comercializada no Brasil.

“É uma homenagem à nossa história e a esse movimento de diversificação do mercado cervejeiro no Brasil. Por isso, a trouxemos de volta com o máximo de exatidão possível para reviver um momento de mais de duas décadas”, explica o fundador e mestre-cervejeiro, Scott Ashby.

A Pale Ale volta ao mercado no momento em que a Ashby expande sua linha de produtos e lança, ao mesmo tempo, mais quatro opções de cervejas em garrafas de 600 ml: Pilsen, Porter, Ale Forte e Weiss. O resgate do rótulo foi feito pela Souza Ferro Comunicação e Marketing, que produziu a nova arte com base em arquivos da época. Não é por acaso que a Cervejaria Ashby tem um navio no rótulo. Uma empresa que começou na África, passou pelos Estados Unidos e ancorou no Brasil em 1993.

O pioneirismo da Pale Ale

Quando a Cervejaria Ashby iniciou suas atividades em 1993 o Brasil ainda não possuía a cultura cervejeira amadurecida. Fugindo do padrão Pilsen que imperava na época, a primeira produção da Ashby foi a Pale Ale – típica cerveja inglesa de alta fermentação – cuja receita foi desenvolvida por Scott a partir de sua experiência cervejeira adquirida nos Estados Unidos, sua terra natal.

A cervejaria vive um momento de expansão e reafirmação da marca instalada em Amparo no ano de 1993. Na foto, o proprietário Scott Ashby (Foto: Divulgação)

A cervejaria vive um momento de expansão e reafirmação da marca instalada em Amparo no ano de 1993. Na foto, o proprietário Scott Ashby (Foto: Divulgação)

“Naquela época no Brasil só existiam a Pilsen e, em escala muito menor, a Malzebier. Quando as pessoas tomavam nossa Pale Ale aprovavam o sabor, mas diziam que não era parecida com o que estavam acostumadas a beber. Essa cultura cervejeira, mais comum nos dias de hoje, demorou quase uma década depois de nossa fundação para começar por aqui”, conta Scott.

A opção de Scott foi direcionar a produção da cervejaria para o mercado de chopes. Nos anos 90, transformou sua micro-cervejaria em uma empresa de pequena produção de chopes Pilsen, Porter, Black e Weiss (trigo), que hoje são distribuídos em uma rede de mais de 100 distribuidores que atende bares, festas e residências particulares pelo sistema Ashby Chopp Express.

História da Ashby: África, EUA e Brasil

Foi em um trem de Nairóbi para Mombassa, no Quênia, em 1989, o local onde aconteceu o inesperado encontro entre o norte-americano Scott Ashby e a brasileira Anelise Marques. Ele aproveitava um ano sabático da universidade e ela estava de férias. Os dois, de mochila nas costas, faziam uma viagem pela África que terminaria no Egito. Alguns meses depois, nos Estados Unidos, onde ela se especializava em Direito e ele terminava seu doutorado em física, surgiu a vontade de construir uma vida juntos.

Scott já tinha o hobby de produzir suas próprias cervejas e o desejo de fazer isso em uma escala maior. Na Califórnia fez um curso de mestre cervejeiro e, junto com Anelise, aprimoram os conhecimentos na cervejaria Wasatch, no estado de Utah. Com a vontade de Anelise de voltar para o Brasil e inspirados pelo boom das microcervejarias norte-americanas da década de 80, decidiram criar a Cervejaria Ashby em terras brasileiras. Nascia assim, no ano de 1993, a primeira micro-cervejaria do Brasil seguindo os moldes do que ocorria nos EUA.

A escolha de Amparo, na Serra da Mantiqueira, como sede da Cervejaria Ashby foi determinante. A cidade faz parte do Circuito das Águas Paulista e, desde 1945, integra o seleto grupo de apenas 11 municípios do estado oficialmente considerados como estância hidromineral. Em agosto de 1993 iniciaram a produção cervejeira.