Cenas e nomes que ficam do mundial da cerveja

Fotos: Luís Celso Jr.

Fotos: Luís Celso Jr.

assinatura.png

Estrangeiras que deixam saudade

Não foram apenas as cervejas brasileiras que conquistaram o público no Mondial de La Bière. As cervejas importadas fizeram a cabeça de muita gente. Algumas das quais nem podem ser encontradas no país, como Dogfish Head e Dieu du Ciel. Não sobrou uma para contar a história. Ficaram apenas as boas lembranças, as fotos e o desejo dos fãs de que um dia elas voltem...

Foto: Luís Celso Jr.

Foto: Luís Celso Jr.

 

Erudição

Cerveja e música clássica? Sim, teve isso no Mondial de La Bière. Apresentado por Cássio Piccolo, proprietário do Frangó, de São Paulo, e Irineu Franco Perpétuo, especialista em música erudita, os três encontros apresentaram grandes compositores com sugestões de cervejas para "harmonizar" com as músicas. Gostou?

Foto: Luís Celso Jr.

Foto: Luís Celso Jr.

Criatividade

Muitas novidades no Mondial de La Bière. Inclusive cervejaria nova. Jeffrey, do Rio de Janeiro, é uma cervejaria cujo projeto tem cerca de um ano e troxe uma bela witbeer com cascas de limão siciliano. O sócio Gilson Val bateu um papo comigo e explicou que já há uma loja conceito e em março será aberta a fábrica própria em Petrópolis. Aí, mais três rótulos serão lançados.

Na foto de baixo, a deliciosa Bill Beer da Mistura Clássica, cervejaria do Rio que lança há algum tempo uma bela nova linha de rótulos e se reposiciona no mercado.

Foto: Luís Celso Jr.

Foto: Luís Celso Jr.

Papo Cabeças

Está vendo a marca? Nem eu. Essa é a cerveria 2cabeças, que trocou sua marca por mais lúpulo. Brincadeiras à parte, o pessoal me confidenciou que mais mudanças estão por vir. Por enquanto, o X marca o local de degustar mais duas novidades lançadas no Mondial de La Bière: a X-ImperialLager, ótima Lager lypulada como IPA e com 8% de teor alcoólico. E a X-SessionIPA, Índia Pale Ale que combina citricidade marcante com amargor e refrescância. 

Foto: Luís Celso Jr.

Foto: Luís Celso Jr.

 

Colaboração internacional

Teo Musso, da Italiana Baladin, convidou as cervejarias Bodebrown, de Curitiba, e Colorado, de Ribeirão Preto, para fazer uma cerveja coletiva. Segundo Samuel Cavalcantti, da Bodebrown, o projeto já foi aceito. A primeira parte da cerveja deve ser feita na Itália e a segunda parte no Brasil. E aí, ansioso por uma Baldin/Bodebrown/Colorado?

 

Sutil

Na foto, o lançamento da Bodebrown no Mondial de La Bière: Verum Rye Pale Ale, cerveja de 3,8% com aroma de lupulos cítricos e final seco, extremamente refrescante e sutil. Show de Bola!

Foto: Luís Celso Jr.

Foto: Luís Celso Jr.

Mistura inusitada

Uma Brown Ale inglesa com laranja. Sabor acentuadamente cítrico da fruta, sendo substituído aos poucos pelo caramelo e toffee do estilo britânico. É assim a nova Colorado Titãs, cerveja fruto de parceria entre uma das maiores bandas de rock nacional e uma das maiores cervejarias nacionais. Pois é. Nós provamos na estreia, em pleno Mondial de La Bière, agora você já sabe como é. Falta só provar e tirar as suas conclusões.

Foto: Luís Celso Jr.

Foto: Luís Celso Jr.